Kiluanji Kia Henda expõe na Europa


13 de Junho, 2015

Fotografia: DR

Kiluanji Kia Henda participa até 23 de Agosto em Varsóvia, no Museu de Arte Moderna, na exposição colectiva “After Year Zero”, com três fotografias unidas por uma moldura tríplice do trabalho “Redefinição do Poder III (com Miguel Prince)”.

“After Yaer Zero” é a segunda parte de um projecto com a instituição  Haus der Kulturen, Berlim, que reflecte o período de descolonização após 1945, através de vários meios artísticos, como o vídeo, fotografia, pintura e instalação.
Kiluanji Kia Henda apresenta um tríptico fotográfico do trabalho “Redefinição do Poder III (com Miguel Prince)”, obra da série “Homem Novo”.
O autor afirma que as imagens pretendem explorar o poder da representação na esfera pública, quando uma personagem viva se torna numa escultura e se apropria  de pedestais deixados vazios no passado colonial.
Com a curadoria de Annett Busch e Anselm Franke, a exposição, inaugurada ontem ,que vai ser também documentada e publicada em livro, interroga-se a construção da história como narrativa e as discussões sobre “universalismo”, utilizado para sustentar imaginários na política e na construção da ordem global.
O trabalho do artista angolano é destacado pelos  curadores como “uma linha de voo em direcção a um futuro que deve ser inventado, mais do que esperado”.

Escultura em Zurique

Kiluanji Kia Henda é também um dos 30 artistas de vários países convidados para o Festival de Arte Pública AAA (Art Altstetten Albisrieden) em Zurique, Suiça, que é inaugurado hoje e termina em 13 Setembro.
Um comunicado da organização refere que “áreas especificas da cidade de Zurique recebem intervenções de 30 artistas, que criam, questionam, reflectem sobre o habitat urbano e desdobram as metas narrativas reais ou mágicas latentes no mesmo espaço”.
Desta feita, o artista angolano vai instalar a escultura em ferro “A Fortaleza” (2014), num sítio peculiar da cidade, trabalho este que anteriormente foi concebido no deserto em Sharjah.
Kiluanji foi seleccionado com Wolfgang Laib e  Olaf Nicolai para uma parte do programa ligado à “Arquitectura Utópica” por “trabalharem em designs de estruturas originais, que não se prendem a uma tradição histórica, na linha de intersecção com a escultura”.

“ReSignification” em Florença

Fotografias do projecto “Auto-Retrato como Homem Branco”, de autoria de Kiluanji Kia Henda, estão patente até ao fim de Agosto na exposição “ReSignifications”, no Museu Bardini de Florença, Itália. Trata-se também de um mostra colectiva que se debruça sobre a tradição “Blackamoor” (Mouro Negro) na cultura Ocidental.
Este tipo de arte ornamental nasceu de “um conjunto de diálogos, cruzamentos, migrações e exílios”.
A exposição socorre-se de imagens históricas da colecção New York Univesity’s Villa La Pietra e “coloca-as em justaposição e contraste com trabalhos contemporâneos de artistas que reflectem as narrativas e construções à volta da iconografia do corpo negro”.
Nesta exposição, o artista apresenta fotografias do projecto “Auto-Retrato como Homem Branco”, que se debruça sobre  a presença africana na Europa.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA