Cultura

Kipapumuno exibe na Liga peça sobre amor e feitiçaria

Manuel Albano

“A Paixão que Fundiu” é uma peça de teatro, adaptada do livro “Manana”, de Uanhenga Xitu, que o grupo Kipapumuno leva à cena, hoje, às 20h00, no palco da Liga Africana, em Luanda.

Actores do grupo Kipapumuno levam à cena um espectáculo adaptado do livro “Manana”
Fotografia: Manuel Albano | Edições Novembro

Inserida no programa do Circuito Internacional de Teatro (CIT), que decorre até segunda-feira, em Luanda, a peça retrata a vida dos jovens Zito e Manana, que se apaixonam, mas a relação não é aceite pelo feiticeiro Kilamba, que alega ter ocupado a jovem como mulher, numa altura em que a mãe da mesma ainda estava grávida. A peça explora barreiras entre o tradicional e o moderno, num drama onde o amor e o feitiço se cruzaram.

Fundado em 1995, na província de Luanda, o grupo já participou em vários festivais de arte, com destaque para o Prémio Cidade de Luanda, em 2002. O grupo tem apostado em peças como Kifarú”, “Pai é Pai” e “A Escravatura”, que valorizam os aspectos culturais e tradicionais do quotidiano da sociedade angolana.
“Divua” em cena />A Companhia de Teatro Kulonga exibe, amanhã, a mesma hora e local, a peça “Divua, a tragédia africana”, uma proposta que retrata aspectos relacionados a ascensão do poder no continente berço da Humanidade, inserido no CIT.
A peça é levada à cena por 15 actores, tendo no elenco personagens encarnadas por Domingos Camilo Banha, João Paulo Eleveny, Helena de Almeida e Lecticia Kambovo.
O espectáculo narra a história de Divua, um jovem príncipe malvado, que ambiciona o trono do Reino, mas para alcança-lo, mata o pai, irmãos e todas as crianças da linhagem.
No final, uma desgraça acontece sobre ela. Que destino terá Divua? Essa é a grande questão a ser desmitificada, durante uma hora, na peça, dirigido pelo encenador Afonso Dinis Amankwah.

Tempo

Multimédia