Cultura

Legado de Neto é tema de palestra

Ana Paula |

A preservação e a divulgação dos monumentos históricos e das obras de artes vão continuar a ser prioridades da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP), garantiu ontem, em Luanda, o secretário-geral da instituição.

Secretário-geral da União dos Artistas Plásticos, Tomás Ana
Fotografia: Maria Augusta | Edições Novembro

Ao intervir na palestra subordinada ao tema “O legado de Neto”, realizada no Centro de imprensa Aníbal de Melo, António Tomás Ana “Etona”, disse que Agostinho Neto não só foi o primeiro Presidente da República de Angola, mas também “o homem que deu origem à cultura nacional.”
A herança deixada pelo Poeta Maior, disse Etona, vai continuar a ser transmitida pelos artistas angolanos aos mais jovens, para que estes conheçam melhor a sua verdadeira origem cultural e política. De acordo com o secretário-geral da União Nacional dos Artistas Plásticos, Angola obteve recentemente novos ganhos históricos e culturais, obras que vão servir de testemunho para as gerações vindouras.
O líder associativo destacou a construção do Memorial à Vitória da Batalha do Cuito Cuanavale, no Cuando Cubango, o Museu da Moeda e o Monumento do Soldado Desconhecido, que será brevemente inaugurado, ambos em Luanda, e a Rede de Mediatecas. Etona disse que os artistas plásticos caracterizam ainda o primeiro Presidente de Angola como uma figura indelével, que deu a primazia aos artistas angolanos. Agostinho Neto, continuou, dedicou parte do seu discurso aos artistas no sentido de estes ocuparem o seu lugar na sociedade e tranquilizar os cidadãos que se queiram identificar como artistas a sentirem-se acomodados e a continuarem a identificar-se como angolanos de um povo e uma só nação. “Para ele, os artistas devem ter paciência para poderem coabitar em sociedade sã.

Tempo

Multimédia