Cultura

Literatura angolana em debate

O estado actual da literatura angolana e o papel dos escritores na mudança social são debatidos hoje, a partir das 17h30, na Biblioteca de Coruchéus, em Lisboa, Portugal, numa tertúlia criada com o intuito de mostrar a evolução e a influência da produção literária ao longo dos anos.

Sandra Poulson é uma das participantes da tertúlia
Fotografia: DR

O encontro, que pretende apresentar uma retrospectiva sobre a literatura angolana, desde a época colonial até aos dias de hoje, tem como principais intervenientes vários escritores e pesquisadores, cujos trabalhos acompanham o desenvolvimento da produção literária nacional, como Lopito Feijóo, João N’Gola Trindade, Sandra Poulson, Tomás Lima Coelho, Armindo Laureano e Eugénio Costa Almeida.
O objectivo da editora Perfil Criativo - Edições, organizadora da iniciativa é criar um debate aberto em que os convidados possam ter uma ideia do actual estado da literatura angolana e interagir com os escritores. As entradas são livres. A tertúlia é realizada sobre o lema “Angola: o papel do escritor”.
Durante o encontro, a organização pretende ainda realizar uma sessão de venda de livros dos escritores convidados para o debate, como forma de aproximar mais os leitores portugueses dos trabalhos literários angolanos.
A editora Perfil Criativo - Edições, mentora da tertúlia, destaca-se, nos últimos quatro anos, no mercado editorial português, por ser uma das poucas a trabalharem, exclusivamente, com os escritores angolanos.
O seu fundador, Ricardo Rodrigues, nasceu no Lobito e começou a publicar, em 2015, livros de autores angolanos, depois de anos de ex-periência, a maioria obtida em Angola. O seu objectivo, como conta, são os novos autores de qualquer género literário. Porém, não fecha as portas a escritores de renome, uma vez que a sua garantia de marca, como afirmou, é a qualidade.

 

Tempo

Multimédia