Cultura

Literatura e arte coreana já disponível em Luanda

Mário Cohen

Centenas de obras literárias e científicas,  peças de artesanato, filmes em DVD e música em CD, sobre a cultura da Coreia do Sul estão mais próximo de Angola com a abertura, ontem, de um espaço cultural coreano denominado “Korea Corner”.

Embaixador coreano (ao centro) no acto de corte da fita
Fotografia: Mário Cohen | Edições Novembro

O espaço foi inaugurado na biblioteca da Universidade Católica de Angola (UCA), com a finalidade de promover a diversidade cultural coreana no país. A sessão de inauguração coube ao reitor da UCA, Vicente Cacuchi, e ao embaixador da Coreia do Sul em Angola, Dongchan Kim.
O diplomata disse que o espaço serve para elevar o interesse dos angolanos pela República da Coreia do Sul, que dispõe de “uma rica cultura asiática.”
Para o diplomata, o Korea Corner é um lugar onde os estudantes universitários e não só podem estudar e aprender muito sobre a vida da Coreia, nos domínios da cultura, economia, política e história, por meio do acervo que a Universidade Católica acaba de ganhar.
Dongchan Kim deu a conhecer que há um ditado que diz: “o começo é fraco, mas o fim será óptimo”. “Embora o projecto tenha começado na Universidade Católica, espero que os estudantes angolanos se interessem pela Coreia através deste projecto, assim como esperamos contribuir para o desenvolvimento de relações bilaterais entre os dois países no futuro, como esperamos, também, que se abra um curso de língua coreana na Universidade Católica, se for possível”, salientou.
O reitor da Universidade Católica de Angola disse ser o momento de resgatar-se o saber da ciência. Acrescentou que a cultura é uma espécie de desenvolvimento, que nos permite conhecermo-nos uns aos outros. “Isto é cultura, porque aprendemos o uso e costumes de outras nações.”
Para o representante do Ministério da Cultura e director da Biblioteca Nacional louva-se a iniciativa da Coreia do Sul, como felicita a Universidade Católica de Angola, que vê enriquecida a sua biblioteca com material de leitura que espelha a vida social e cultural daquele país asiático.
João Pedro Lourenço revelou que o Korea Corner vai servir, também, de estudo por parte do órgão que dirige, por ser a instituição que regula todas as bibliotecas no país. Para ele, o Korea Corner vai contribuir muito para a Biblioteca Nacional munir-se de conhecimentos cultural, económico e político sobre a Coreia.

Tempo

Multimédia