Cultura

Literatura infantil é tema de debate

Manuel Albano |

Escritores angolanos e brasileiros participam hoje, das 9h30 às 12h00, num encontro sobre letras, na sala de conferências na Mediateca de Luanda “28 de Agosto”, alusivo ao Dia Internacional da Literatura Infantil, que se assinala amanhã.

Encontro pretende trazer à tona algumas reflexões sobre a análise da literatura actual no país
Fotografia: José Soares | Edições Novembro

Para esse primeiro colóquio, uma das convidadas é a escritora Cremilda de Lima que vai falar sobre a génese da literatura infantil em Angola, introdução, caracterização das diferentes fases etárias do desenvolvimento psíquico da criança e análise da literatura actual no país.
A abordagem do folclore angolano nas obras de literatura infantil é um tema a ser apresentado pelo escritor Michael Kayanga. O orador deve fazer uma análise também sobre as lendas e tradições folclóricas dos povos transmitidas oralmente de geração em geração, como fonte inspiradora da literatura infantil, atribuindo às obras valores sobre questões humanas e sociais, bem como culturais.
Durante o encontro, pretende-se trazer algumas  reflexões  sobre  o ensino de história, via literatura, mais especificadamente a literatura de matriz africana de língua portuguesa.
O valor pedagógico e didáctico intrínseco nos livros infantil é um tema a ser apresentado pelo radialista e autor do livro “A mensagem do Kaluanda-Piô na prevenção da dor de dente”, Joaquim Freitas “Tio Kim”, no qual vai tentar explicar a importância dos conteúdos de livros escritos e dirigidos essencialmente para as crianças, embora sejam extensivos aos adultos.
A importância de abordar-se conteúdos ricos nos livros que proporcionam muitos conhecimentos às famílias e, com base nisso se poder prevenir vários problemas, é outro  contributo do orador. A escritora brasileira Márcia Holanda foi convidada a falar sobre a internacionalização da literatura infantil. Uma das questões em discussão deve ser a utilização de mecanismos e estratégias de divulgação dos livros no mercado internacional.
Neste contexto, muitos são os países que aproveitam algumas das principais feiras internacionais, como fonte de divulgação das obras, a parceria com  editoras internacionais ligadas à literatura e à tradução de obras literárias.

Momento cultural

Para animar a actividade, consta do programa, a actuação do grupo infantil “As Ladissas” e a Companhia Infantil Tuzolanda, assim como vão ser realizadas sessões de venda e assinatura de autógrafos dos livros de Cremilda de Lima, Márcia Holanda, Áurio Quicunga e Kim Freitas.  A coordenadora da Comunicação Organizacional e porta-voz da Rede de Mediateca de Angola (Rema), Cândida Costa, disse ontem, ao Jornal de Angola, que a ideia da realização da primeira edição do projecto “Encontro de escritores da literatura infantil” surge com o intuito celebrar o Dia Internacional da Literatura Infantil e destacar o contributo que os escritores da literatura infantil angolana têm prestado ao longo dos anos na preservação e divulgação da literatura nacional, bem como a importância do que é produzido para o cenário angolano.
Explicou que Cremilda de Lima deve destacar os escritores e os livros literários infantis, desde a sua génese até os dias de hoje. “A escritora vai fazer uma abordagem profunda sobre a evolução da literatura infantil angolana: pioneiros da literatura, os primeiros livros infantis a serem publicados e o impacto social que trouxeram as mesmas obras.”
Sobre a abordagem do folclore angolano nas obras de literatura infantil, Cândida Costa espera que o escritor Michael Kayanga reflicta sobre a grande riqueza de conhecimentos e conteúdos no folclore angolano, ideal para os escritores perpetuarem nas suas obras literárias, de forma a preservarem e divulgaram os conteúdos da história angolana.

Valor pedagógico

Quanto ao valor pedagógico e didáctico intrínseco nos livros infantis, que tem como protector o radialista Joaquim Freitas, este disse que vai dissertar sobre o seu livro. O mesmo tem usado a literatura para instruir as crianças e encarregados de educação para a prevenção de variadas doenças que existem e vão surgindo com o tempo. Com esse projecto, disse, pretende-se promover uma discussão sobre a literatura infantil, com a participação de escritores e profissionais das áreas de ilustração, edição e formação de leitores para maior divulgação dos livros dirigidos às crianças.
 “O objectivo é que as crianças angolanas se revejam cada vez mais nas obras e nos escritores nacionais, por forma a absorverem o máximo daquilo que já foi feito e que continua a ser feito pelos novos escritores.”
Essa iniciativa está a ser realizada pela Kikunga Entretenimento e a Editora Viana, inserida no programa da Rede de Mediatecas de Angola, em que a de Luanda tem desenvolvido várias actividades, desde o programa de aprendizagem da língua inglesa, a actividades culturais e fomento de leitura.

SAPO Angola

Tempo

Multimédia