Cultura

Livro sobre etonismo apresentado na Huíla

O livro “Etonismo - Formas e Normas da Razão Tolerante”, da autoria do historiador Patrício Batsikama, foi apresentado na quinta-feira, no Hotel Serra da Chela, na cidade de Lubango, no quadro do 28.º Encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa, numa promoção da Universidade Mandume ya Ndemufayo.

Peças de arte estiveram expostas na feira de artefactos no Lubango
Fotografia: João Cota | Angop

A apresentação  do livro esteve a cargo do historiador Cornélio Caley diante de uma plateia composta por docentes e estudantes nacionais e estrangeiros das universidades de língua portuguesa delegados ao encontro.
O livro com 246 páginas foi editado pela Editora Universidade e tem uma tiragem inicial de 1.500 exemplares.
Cornélio Caley realçou a importância da identidade artística do pintor Etona e subscreveu a proposta da rentabilização do seu património na aposta de mais valências culturais angolanas, tendo recomendado um estudo de outros valores, com o objectivo de se encontrarem mecanismos para a sua valorização em benefício da angolanidade.
“O exemplo do jovem historiador Patrício Batsikama precisa de ser seguido”, aconselhou Cornélio Caley.
Para o autor do livro “a semente está lançada; esperamos receber mais críticas para melhorar o argumento, dilatar a discussão e tornar cada vez mais cristalizada a teoria da Razão Tolerante”. Na ocasião, o historiador detalhou para a Ministra do Ensino Superior, Maria Bragança Sambo, a filosofia artística de António Tomás Ana “Etona”, cujas obras estiveram expostas entre quarta-feira e ontem numa exposição individual no Hotel Serra da Chela.
Patrício Batsikama é historiador. Actualmente, desempenha a função de director do Centro de Estudos e Investigação Científica Aplicada do Instituto Superior Politécnico Tocoista (CEICA-ISPT). É autor de vários livros e artigos científicos.
Feira de artefactos
Um total de 4.500 peças de artefactos diversos dos PALOP estiveram expostas desde quarta-feira até ontem, no Lubango, no âmbito do 28.º Encontro Internacional da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP).
A iniciativa, da Universidade Mandume ya Ndemufayo, juntou expositores de Luanda, Benguela e Huíla (anfitriã), e teve como objectivo ilustrar as potencialidades culturais e linguísticas angolanas representadas em vários artefactos de pequena e grandes dimensões.

Tempo

Multimédia