Cartas de Eugénia para Neto

Manuel Albano |
9 de Junho, 2016

Fotografia: Dombele Bernardo

Um livro de memórias intitulado “Cartas de Maria Eugénia a Agostinho Neto”, da autoria da esposa do Primeiro Presidente de Angola, é lançado hoje, às 16h30, nas instalações do Memorial Dr. António Agostinho Neto, em Luanda, uma iniciativa da fundação.

Inserida na colecção “Novo Rumo”, da qual já foram publicados sete obras, o novo livro de Maria Eugénia Neto, com 376 páginas, foi editado em Portugal na Norprint - A casa do Livro e teve uma tiragem inicial de três mil exemplares.
No prefácio escrito pela Irene Neto, filha da autora e do Primeiro Presidente da Nação angolana, refere que as cartas foram escritas no período antes da guerra colonial dos anos 50, no século XX, e após o início da luta armada em 1961.
Os escritos ilustram aspectos privados, humanos e sentimentais de dois jovens que se iriam notabilizar, anos mais tarde, nos campos das letras e política escreve Irene Neto, acrescentando que o livro que se pretende seja um contributo documental para o entendimento das personalidades em apreço serve também para análise histórica, sociológica, económica, cultural e política da época.
O livro com cartas carregadas de histórias “suculentas” de amor, além de destacar o companheirismo, a amizade, a admiração e respeito que mantinham, agrupa  dois tipos de correspondência. As cartas de Geninha, a jovem e solteira Jenny, nas missivas dirigidas ao namorado durante a sua permanência na prisão por motivos políticos, no Porto,    1955 entre e 1957.
O segundo tipo de missivas que também constam do livro são cartas manuscritas de Jeny dirigidas ao já esposo António dos arquivos da Polícia Internacional e de Defesa do Estado (PIDE) referentes ao período da deportação em Cabo Verde (1960-1961).
As cartas foram organizada pela Maria Eugénia e a filha do casal, Irene Neto.
Antes da cerimónia de lançamento do livro, Maria Eugénia Neto, na qualidade de Presidente da fundação vai doar a direcção do Memorial Agostinho Neto o fato utilizado pelo primeiro Presidente de Angola, no dia da Proclamação da Independência Nacional.
Maria Eugénia Neto nasceu em 1934, em Portugal. Estudou desenho e línguas estrangeiras e participou nos coros do Conservatório Nacional Português. Publicou os seus primeiros poemas e artigos na imprensa portuguesa. Em 1948, num círculo de intelectuais africanos conhece Agostinho Neto, com quem viria a casar-se dez anos depois. Durante a luta armada de libertação nacional contribui intensamente na divulgação de poemas em programas de rádio e com artigos e poemas em jornais no estrangeiro. Chegada a Angola foi directora do boletim da Organização da Mulher Angolana que era traduzido em francês e inglês.
Tem publicado entre outros títulos, “...E nas florestas os bichos falaram”, “Foi esperança e foi certeza” (poemas, Luanda 1976 - 1.ª edição, Luanda, 1985 - 2.ª edição),  e “O soar dos kissanges” (Luanda, 2000). 

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA