Cultura

Concorrente do Zaire vence prémio literário

A história  do “Joaquim, o menino da aldeia”, escrita pelo estudante Afonso Luzingo, venceu o concurso nacional de literatura infantil denominado “Quem me dera ser onda”, cujo prémio foi entregue no Sábado, em Ndalatando, capital do Cuanza Norte.

Organização procedeu no sábado à entrega dos prémios na cidade de Ndalatando
Fotografia: Lucas Leitão | Angop

O autor tem 18 anos de idade, é natural da província do Zaire e estuda a 12.ª classe.  O júri atribuiu a segunda posição ao texto “A vida de Victor”, de Santiago José António Cacala, de 17 anos, natural do Cuanza Sul, enquanto na terceira posição foi atribuído ao  texto “Nódoas da vida”, de Gildo Capingana João, de 17 anos, também da província do Cuanza Sul.
O concurso é anual, financiado pela Fundação SOL, em parceria com o Ministério da Educação e a União dos Escritores Angolanos. O primeiro classificado recebeu 973.950 kwanzas, o segundo 584.370 e o terceiro 389.880.
O vencedor, Afonso Luzingo, manifestou satisfação pelo reconhecimento do seu texto, inspirado numa história contada pelo seu avô. Para ele, a atribuição do prémio constitui um incentivo para continuar a desenvolver a sua veia literária, assegurando ter o lançamento de um livro para breve.
Por seu turno, o Secretário-Geral da União dos Escritores Angolanos, Carmo Neto, destacou o impacto do referido concurso na promoção do gosto pela leitura e pela literatura entre os estudantes desde a tenra idade, promovendo a descoberta de novos talentos.
Carmo Neto apelou às instituições de ensino a reforçarem o incentivo aos estudantes para a participação massiva em concursos que promovam o desenvolvimento intelectual, o hábito pela leitura e pela escrita.Presenciaram o evento, decorrido no Cine Ndalatando, o governador do Cuanza Norte, José Maria, a secretária de Estado da Educação, Ana Paula Inês, e o presidente do Conselho de Administração do Banco Sol, Coutinho Nobre Miguel.

Ministério da Edução apoia

/>A secretária de Estado da Educação, Ana Paula Inês, reconheceu no sábado, em Ndalatando, o contributo dos vários parceiros do Governo empenhados no financiamento de projectos de preservação, promoção e desenvolvimento da literatura. À margem da cerimónia de entrega de prémios do concurso \"Quem me dera ser onda\", Ana Paula Inês reconheceu o gesto da administração do Banco Sol, \"que tem estado a se constituir em grande parceiro do Ministério da Educação no resgate dos valores culturais e literários da nação.\"
A par da promoção de concursos literários infantis, referiu que o contributo da referida instituição bancária tem sido relevante na construção de escolas, oferta de materiais didácticos para apoio a crianças carentes e formação de professores, visando a elevação dos níveis da qualidade de ensino no país.
Ana Paula Inês destacou ainda o facto de vários parceiros da educação elegerem o sector da educação como  principal destinatário das suas acções filantrópicas, um aspecto que demonstra o reconhecimento que as mesmas têm pelo sector da educação, face o seu impacto na formação humana e promoção do desenvolvimento de qualquer nação.
A governante disse que o Ministério da Educação vai reforçar a sua cooperação com a UEA na promoção de acções viradas à descoberta de talentos literários nas escolas, reforço do hábito pela leitura e escrita no seio das crianças. Preconizou a necessidade de um maior empenho dos professores de Língua Portuguesa no estímulo dos alunos.

Tempo

Multimédia