Cultura

Cremilda de Lima lança segunda-feira 40º livro de contos

Mário Cohen

Quatro histórias divertidas, alegres e coloridas dedicadas às crianças e aos educadores sociais, que se aplicam ao que de mais precioso há no Mundo, os mais pequenos, é a nova proposta infanto-juvenil da escritora Cremilda de Lima, intitulado “História com Adivinhas”.

Nova proposta infanto-juvenil da autora em breve no mercado
Fotografia: Paulino Damião | Edições Novembro

O quadragésimo livro de contos de Cremilda de Lima, a ser lançado na segunda-feira, às 10h00, no Camões-Centro Cultural Português, em Luanda, com a chancela da Texto Editora, com ilustrações de Ana Valente, é uma viagem imaginária à roda da alegria e ao mundo da magia e dos sonhos.
A escritora lembrou ao Jornal de Angola os livros de Óscar Ribas “Missosso”, “Inquietas e Agitadas”, “Querendo Ensinar” e “Brincando” que continham adivinhas em quimbundo traduzidas para português.
“Claro!...Para cada adivinha uma história simples com belas ilustrações. Um livro perfeito para crianças e adultos, juntos, passarem horas maravilhosas e com vontade de aprender mais”, disse Cremilda de Lima, acrescentando que, com a varinha mágica (calubungo) a brilhar e o pensamento a fervilhar, o livro surgiu e a criançada, curiosa, mostra-se ansiosa por folheá-lo.
O livro vai ser apresentado pelo escritor Lopito Feijoó, mas a cerimónia reserva ainda uma actuação da companhia infantil Tuzolana com os alunos do Colégio Palanquinhas, que vão levar à cena “O Balaio de Milho”, uma das histórias de Cremilda de Lima. A realização de um concurso de adivinhas, em quimbundo e português, com os alunos do Colégio Kambas, também consta do programa de lançamento.
Cremilda de Lima nasceu em Luanda e licenciou-se em Ciências da Educação na Escola Superior de Leiria. É professora do ensino primário e membro da União dos Escritores Angolanos (UEA).
Sendo uma das escritoras nacionais que mais escreve para crianças, Cremilda de Lima tem livros de contos premiados, com destaque para “A Kianda e o Barquinho de Fuxi”, duas vezes galardoado pela União dos Escritores Angolanos (UEA).

Tempo

Multimédia