Edição francesa da obra de Neto


19 de Setembro, 2014

Fotografia: Cedida pela Editora

Uma edição francesa da obra poética completa de Agostinho Neto, traduzida pelos professores Jean-Michel Massa e Annick Moreau, é lançada hoje, em Paris, numa iniciativa da Embaixada de Angola em França, com o apoio da Fundação Agostinho Neto.

O livro, que sai com a chancela das edições Alexandrines, reúne pela primeira vez em língua francesa a trilogia poética “Sagrada Esperança”, “Renúncia impossível” e “Amanhecer”. Esta é a segunda vez que o Livro 1 - “Sagrada Esperança” é publicado em francês em Paris.
De acordo com uma nota da Embaixada de Angola em França, a nova versão foi retomada integralmente da Edição especial trilingue (português, francês e inglês) “Sagrada Esperança”, publicada em Luanda em 1986, e magistralmente ilustrada pelo pintor António Pimentel Domingues. A tradução em língua francesa fpoi feita por Jean-Michel Massa, professor emérito da Universidade de Rennes 2, França.
A professora reformada Annick Moreau, especialista em língua portuguesa, fez a tradução dos livros “Renúncia impossível - L’impossible renoncement” e “Amanhecer - L’aube” e assinou o prefácio da obra.
Numa mensagem incluída na obra, o Embaixador Miguel da Costa considera que “Agostinho Neto utiliza a sua poesia para levar a uma tomada de consciência geral sobre a situação insustentável das populações colonizadas e para encorajar as elites a tomar a iniciativa e mostrar o caminho para a mudança, agir sem demora”. De acordo com o diplomata angolano, a Embaixada de Angola em França pretende, deste modo, dar um contributo na divulgação da literatura angolana, especialmente do poeta Agostinho Neto, que é um dos expoentes literários em Angola. “Procuramos com esta tradução contornar o handicap da língua francesa e que o trabalho dos nossos criadores esteja acessível não apenas aos franceses, mas neste caso, ao universo da francofonia”.
Para Maria Eugénia Neto, Presidente da Fundação Agostinho Neto, “é urgente levar ao conhecimento da juventude os valores humanos da “geração da libertação”, essa geração que sacrificou tudo para acabar com um período injusto da história da humanidade, que vai da escravatura até ao fim do colonialismo”. Igualmente na introdução, Maria Eugénia Neto considera que “o poeta tornou-se o defensor da libertação do homem e da fraternidade humana. Médico de profissão, o poeta colocou a primeira pedra do edifício universal da paz, da concórdia e do desenvolvimento de todos os seres humanos. Regozijemo-nos por estarmos presentes hoje, para saudar esse grande poeta africano! Os poetas pertencem ao mundo, são os mensageiros da Humanidade”.
A obra inclui no final uma cronologia ilustrada do poeta e a sua biografia actualizada, que faz uma reconstituição da sua vida política e literária.
Para as comemorações do dia do Herói Nacional, a Embaixada de Angola em França vai igualmente albergar uma conferência sobre a poesia do poeta presidente Agostinho Neto. A sessão vai ser animada por Ana Rocha, especialista da obra poética de Agostinho Neto, além das intervenções do escritor José Luís Mendonça, que vai desenvolver o tema “Agostinho Neto e a cidadania poética do homem negro”, assim como o professor catedrático italiano Giuseppe Grili, da Universidade Roma 3, cuja intervenção vai incidir sobre “A essência do pensamento do Presidente Agostinho Neto segundo os seus poemas”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA