Escritor Albino Carlos conquista na Literatura

Manuel Albano|
30 de Outubro, 2014

Fotografia: Jornal de Angola

O escritor Albino Carlos é o grande vencedor do Prémio Nacional de Cultura e Artes, edição 2014, na categoria de Literatura, anunciou ontem no Museu de História Nacional, em Luanda, o porta-voz do júri, António Fonseca, em cerimónia presidida pela ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva.

A atribuição do Prémio Nacional de Cultura e Artes ao escritor incidiu sobre o conjunto da sua obra, na qual se destaca pela qualidade estética da sua obra “Issunje”, manifestando uma profunda subtileza na transposição em narrativa de algumas das vicissitudes que determinaram a nossa história mais recente, ao mesmo tempo que manifesta um olhar penetrante na observação dos aspectos mais “tumultuosos” da vida quotidiana do povo angolano.
Na disciplina de Artes Plásticas, o júri atribuiu o prémio ao escultor João Mabuaka, de nome artístico “Mayembe” pela sua obra “O outro olhar da sabedoria”, talha em pedra, exemplo inequívoco da singular mestria do artista, remetendo-nos a uma interiorização espiritual, pela sua expressão soberbamente delineada, transmitindo o sentido de respeitabilidade que os anciãos merecem na nossa vida social e que vem fazendo história ao longo dos tempos.
Na disciplina de Investigação em Ciências Humanas e Sociais, o júri atribuiu o prémio ao Centro de Estudos do Deserto (CE.DO) pela significativa actividade no domínio da investigação científica, sedeando e promovendo projectos colectivos de investigação, organizando eventos de reflexão e partilha de informação e conhecimento.
A Companhia Enigma Teatro venceu na categoria de Teatro, pelo conjunto da sua obra, marcada pelo espírito inovador, integridade artística, especificidade estética e artística do conteúdo das mesmas e particularmente das obras “Na corda bamba”, “A Raiva”, “De Luandinha a Luanda para Luandão”, “Apaixonados por engano”, “A grande questão” e “Sujeito e Azarado”.
Em Cinema e Audiovisuais, foram premiados o realizador Asdrúbal Rebelo da Silva, o cantor Gabriel Tchiema (música), pelo disco “Mungolé”, e o grupo tradicional Katyavala, do Bailundo (dança) pelo conjunto das suas obras que têm contribuído para o desenvolvimento das artes angolanas. Cada vencedor vai receber três milhões e meio de kwanzas.
A ministra da Cultura felicitou os vencedores, incentivando-os a continuarem a trabalhar para o desenvolvimento da cultura angolana, nos mais variados sectores. “Ainda precisamos de melhorar as condições técnicas de avaliação das obras, de maneira a continuar a satisfazer os anseios dos criadores nacionais”, reconheceu.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA