Estórias de sonho e liberdade em Lisboa

José Luís Mendonça| Lisboa
4 de Março, 2016

Fotografia: José LuísMendonça | Lisboa

A União dos Escritores Angolanos (UEA) apresentou quarta-feira em Lisboa, no auditório Armando  Guebuza da Universidade Lusófona, a antologia de contos intitulada “Pássaros de Asas Abertas”, integrada nas comemorações do 40.º aniversário da Independência de Angola.

A antologia que junta 37 autores de várias gerações permite ao leitor compreender a dinâmica da História de Angola, disse o co-autor da obra, António Quino.
Com este segunda apresentação, depois do lançamento no dia 22 de Fevereiro no Correntes d’Escrita, na Póvoa de Varzim, o maior festival literário português, a UEA continua o seu trabalho de divulgar e internacionalizar a literatura angolana, como frisou na ocasião o secretário-geral, Carmo Neto, ladeado pelo representante da reitoria da Universidade Lusófona, Esmeraldo de Azevedo, e pela co-autora da antologia, Margarida Reis.
Os contos apresentados em terras lusas são a expressão da pluralidade e da diversidade de uma literatura em franco crescimento e que mostra como as raízes históricas são fundamentais, realçou Margarida Reis.
O adido cultural da Embaixada de Angola em Portugal, Luandino de Carvalho, destacou a coincidência da apresentação da antologia com o Dia da Mulher Angolana, o que reveste o acto de um simbolismo especial.  Luandino de Carvalho acrescentou que o espírito do povo angolano está presente na obra, que tem muito a ver com os 40 anos da Independência de Angola.
Nesta antologia de contos maioritariamente dos anos 80 em diante, muitos deles inéditos, podem-se encontrar alguns dos mais expressivos nomes da literatura angolana contemporânea. A diversidade temática e estilística oferece ao leitor uma boa amostragem da riqueza da prosa angolana.
 
ReuniVersos Doutrinários
 
No Festival literário português da Póvoa de Varzim foi apresentada, no dia 23 de Fevereiro, a antologia de poesia de Lopito Feijóo, intitulada “ReuniVersos Doutrinários”.
A antologia condensa 35 anos de publicação de poesia de Lopito Feijó, numa escolha do autor, onde os leitores podem encontrar os melhores e mais distintos momentos do labor do poeta.
 A obra inclui inúmeros textos inéditos, acrescida de uma incursão pela poesia infanto-juvenil, entre outras propostas de escrita.
Nas primeiras 100 páginas, os leitores encontram uma resenha de opiniões, juízos críticos e de valor de alguns dos mais prestigiados autores, escritores, estudiosos, críticos e ensaístas das mais longínquas e distintas paragens e instituições do Mundo onde as literaturas africanas são hoje motivo de referência obrigatória. Lopito Feijó contou que “toda a vida me disseram que eu tinha futuro, mas o futuro só existe quando existe investimento, trabalho e estudo”.
Poeta e ensaísta, Lopito Feijó nasceu em Malanje. Licenciado em Direito pela Universidade Agostinho Neto, o autor publicou o seu primeiro livro de poemas “Entre o Ecrã e o Esperma” aos 22 anos, com o qual obteve uma Menção Honrosa, no concurso de literatura “Camarada Presidente”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA