Cultura

Feira do livro em Malanje promove autores locais

Adriano Sapalo | Malanje

Fomentar o gosto pela leitura foi o  objectivo da realização de uma Feira Literária, aberta na segunda-feira, na Biblioteca Provincial “Rainha Njinga Mbande”, em Malanje.

Escritor Conceição Cristóvão coordenador da feira literária
Fotografia: Domingos Cadência | Edições Novembro

Promovida pela Associação dos Naturais e Amigos da Canâmbua “Akwakanambwa”, em parceria com a União dos Escritores Angolanos (UEA), a iniciativa  inseriu-se nas comemorações do primeiro aniversário da associação assinalado no sábado e contou apenas com obras de autores naturais de Malanje.
Dos livros escolhidos constam “Rua da Insónia: Um Manifesto de Inquietações” de João Tala, “Lápis e Ponta: o Dicionário da Minha Existência”, de Adriano Botelho de Vasconcelos, “Sol Sal Seios Sexo” de Conceição Cristóvão, “Marchas da Guerra, Percepção Íntima e outros Fonemas Doutrinários”, de Lopito Feijoó, “Pausa” de Cristóvão Neto e “De gravata”, da autoria de Carmo Neto.
Em declarações ao Jornal de Angola, o coordenador da feira, Conceição Cristóvão, disse que foram vendidos e autografados 300 livros. O responsável lamentou  existirem poucos apoios das instituições públicas e privadas em actividades que ajudem a promover a produção do livro.
Por isso, defendeu, a adopção de políticas de apoio à divulgação de livros, para que o seu acesso seja cada vez mais facilitado aos jovens.
Conceição Cristóvão disse estar prevista a realização de uma excursão às Quedas de Calandula. “Queremos continuar a promover os bons hábitos e explorar as rique-zas naturais da região e as-sim procurar ajudar a publicitar os encantos culturais da província.”
A Associação dos Naturais e Amigos da Canâmbua, criada há um ano, é uma organização sem fins lucrativos, focada na realização de acções filantrópicas, em prol do bem-estar dos cidadãos da provícnia de e Malanje, com realce para os do bairro da Canâmbua.

 


Tempo

Multimédia