Gosto pela leitura

Roque Silva |
8 de Setembro, 2015

Fotografia: Domingos Cadência

O país tem que registar o surgimento de outras iniciativas que divulguem a literatura infantil e infanto-juvenil, de acordo com o apelo, feito domingo, pelo secretário de Estado da Cultura, Cornélio Caley, em Luanda.

Segundo o Secretário de Estado da Cultura, o país deve continuar a apostar na divulgação dos valores culturais através de registos escritos, além da oralidade.
Além do Jardim do Livro Infantil, realizado anualmente pelo Ministério da Cultura, Cornélio Caley defendeu que acções do género devem ser seguidas pelos agentes culturais, para permitir que as crianças e adolescentes tenham o contacto permanente com o livro.
Cornélio Caley, que falava na abertura da primeira edição da Feira do Livro Infantil Malta da Paz e da Alegria, pediu às empresas públicas e privadas no sentido de apostarem na criação e produção de projectos para divulgação de livros para crianças, quer de autores nacionais quer de estrangeiros.
“O livro é uma das importantes fontes do conhecimento”, referiu, e reconheceu que, actualmente, as pessoas vêem a leitura como factor imprescindível à formação.
 Cornélio Caley, que definiu o livro como um bem cultural, indispensável na vida das crianças, adolescentes e jovens, para transmissão de valores, afirmou que o mesmo oferece subsídios de interpretação e argumentação sobre diversos assuntos da vida.
Caley acrescentou que o valor do livro nunca é ultrapassado pelos meios tecnológicos, tais como televisão e cinema, “embora esses suportes tenham ganhado mais espaço e a atenção das pessoas”.
O secretário de Estado felicitou a direcção do projecto Malta da Paz e da Alegria, pela realização da iniciativa, numa altura em que o país enfrenta dificuldades financeiras.
O lançamento de “Os Animais de Duas Gibas”, livro de Maria Eugénia Neto, marcou a abertura da I edição da Feira, na qual participam 13 expositores e encerra amanha.
 Editado pelo Instituto Nacional das Indústrias Culturais (INIC),  aborda a necessidade de se proteger a fauna e a flora, em particular o Camelo e a Welwitchia Mirabilis, no deserto do Namibe.
Houve também exibição  da peça “O Poeta Maior”, com encenação de Celina Coluna, um dos atractivos apresentados pelas crianças do projecto Malta da Paz e Alegria, cuja mensagem é de concórdia e paz, inclui versos dos poemas “Havemos de Voltar” e “Caminho do Mato”, de Agostinho Neto.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA