Haitiana Lahens vence o Femina


4 de Novembro, 2014

Fotografia: Divulgação

A haitiana Yanick Lahens recebeu ontem o prémio “Femina" pelo livro “Bain de lune" (“Banho de lua", em tradução livre), romance de violenta beleza sobre o seu país, marcado pela destruição, oportunismo político, famílias devastadas mas também palavras mágicas.

“Estou muito feliz. O reconhecimento faz bem e eu fico muito grata que o júri tenha entendido que, mesmo que a história se passe no Haiti, ela é universal", declarou a escritora à AFP.
Grande figura da literatura haitiana e engajada no desenvolvimento social e cultural do seu país, Yanick Lahens nasceu em Porto Príncipe em 1953.
Para o prémio “Femina" estrangeiro, o júri escolheu a israelita Zeruya Shalev pelo livro "Ce qui reste de nos vies" ("O que resta de nossas vidas", em tradução livre).
O prémio Femina, composto por um júri exclusivamente feminino, foi criado em 1905 pela revista “La Vie Heureuse" com o objectivo de valorizar as mulheres e de fazer frente a outra importante honraria literária francesa, o Goncourt - que conta apenas com jurados homens.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA