Cultura

Jardim do Livro Infantil abre amanhã em Luanda

Manuel Albano

Os expositores interessados em participar na 12ª edição do Jardim do Livro Infantil, que  vai decorrer entre sexta-feira e domingo, em Luanda, devem fazer a inscrição hoje, a partir das 8h00, na Praça da Independência, local onde vai decorrer a actividade artística para crianças.

Iniciativa do Ministério da Cultura promove o livro e a leitura junto das crianças e dos educadores
Fotografia: Francisco Bernardo | Edições Novembro

A informação foi avançada, ontem, por Manuel Sebastião, director provincial de Acção Social Cultural e Desportos, do Governo de Luanda, tendo assegurado estarem já inscritos 20 expositores, e mobilizadas milhares de crianças.
O Jardim do Livro2018 acontece sob o lema “Criança que lê, adulto fortalecido”.
A cerimónia de abertura vai ser presidida pelo governador da província, Adriano Mendes de Carvalho.
Hoje, a partir das 10h00, realiza-se a última reunião técnica com os expositores, para acertos. Manuel Sebastião apela à participação massiva de encarregados de educação e pais, porque "a valorização do livro infantil é um dos objectivos da feira, permitindo que os encarregados de educação e pais adquiram livros de autores nacionais e estrangeiros a preços baixos para as crianças.”
Disse que a organização está a fazer um trabalho exaustivo para mobilizar mais crianças e adultos, incluindo expositores para participarem massivamente no Jardim do Livro Infantil. De acordo com o responsável, estão programadas várias actividades, com destaque para visitas guiadas de alunos e professores, lançamento e apresentação de livros infantis, oficinas de artes, narração de contos e espectáculos de teatro, música e dança.
Por outro lado, disse que as escritoras Cremilda Lima e Ana Maria de Oliveira são algumas das figuras de cartaz, que vão marcar presença para sessões de autógrafos.
“Estamos a mobilizar escritores infantis, trabalhadores de creches, escolas e de centros de acolhimento, no sentido de tornar o projecto mais extensivo”, disse Manuel Sebastião.
O Jardim é, também, um meio de fomentar a política do livro e da promoção da leitura. “Este ano, temos um programa recheado com várias actividades de carácter cultural e pedagógico”, adiantou.
   
Valorização do livro
O director do Instituto Nacional das Indústrias Culturais (INIC), Gabriel Cabuço, disse ontem em Luanda que o Jardim do Livro Infantil visa difundir e valorizar o livro para crianças, no sentido de permitir que as crianças estejam mais próximas dos autores e tomem contacto com uma vasta gama de títulos a preços acessíveis.
O INIC, acrescentou, pretende dar maior visibilidade às actividades que se realizam  em cada uma das províncias, razão pela qual a ci-dade de Caxito, capital do Bengo, acolheu, ontem, o acto central. “Estamos, nesse mo-mento, a criar condições para que a actividade decorra sem sobressaltos.”
Gabriel Cabuço  disse que o Jardim do Livro Infantil decorre, este ano, num contexto em que, por meio do livro, se viabiliza o exercício da democracia, dando possibilidade ao cidadão de informar-se, comunicar, discutir, participar e exercer a cidadania.
Por outro lado, informou que o Executivo e a sociedade civil, articulados, devem viabilizar as condições para que os cidadãos possam usufruir do património cultural e social, alcançando conhecimento científico e técnico que favoreça o desenvol-
vimento político cultural e social.
A realização deste certame, adiantou, justifica-se na medida em que se pretende dar resposta às expectativas da sociedade sobre a necessidade de promoção do livro e da leitura junto da família, dos educadores e das crianças.
O Jardim do Livro Infantil é uma iniciativa do Ministério da Cultura, em parceria com os governos provinciais.

Tempo

Multimédia