Livro “Áfricas Ocultas” gera debate em Luanda

Kátia Ramos |
20 de Agosto, 2016

Fotografia: Contreiras Pipa

O Centro Cultura Brasil-Angola promoveu um debate em torno dos desafios da nova produção da literatura contemporânea africana, durante o projecto “Café Literário”, com o escritor Gabriel Ambrósio.

Durante o debate, no qual o escritor apresentou o livro “Áfricas Ocultas”, Gabriel Ambrósio afirmou ter feito uma investigação profundo sobre as várias realidades africanas no período em que frequentava os estudos, transcrito as conclusões da pesquisa nas 266 páginas do livro.
Para o escritor, a maior ambição do livro é de incentivar os leitores a importarem-se com as tradições africanas, no sentido da mesma servir de estudo e desta forma manter o legado deixado pelos nossos antepassados. Gabriel Ambrósio, manifestou o seu descontentamento pelo facto do  Continente africano ser um gigante desconhecido na Europa, Ásia e outras parte do mundo em que já viajou.
Para o autor, “Áfricas Ocultas” aborda vários aspectos sócio-religiosos do continente, com destaque para a importância da tradição oral e escrita, a religião e sua importância no contexto africano, e das mulheres na conservação do património ideológico africano, a divulgação da história africana às novas gerações, os  vários fenómenos culturais que caracterizam o continente e o desenvolvimento económico que alguns países apresentam.
Gabriel Ambrósio é natural da província do Zaire e “Áfricas Ocultas” é o seu primeiro livro publicado oficialmente há dois anos no Brasil, e em Luanda, na Universidade Jean Piaget Angola. O livro está disponível nas livrarias da capital dos país no valor de 2.500 kwanzas.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA