Cultura

Maria Eugénia defende maior divulgação da obra de Neto

Amilda Tibéria |

A escritora e viúva do primeiro Presidente de Angola, Maria Eugénia Neto, defendeu, ontem em Luanda, ser importante continuar a divulgar e difundir os principais feitos dos heróis nacionais, como forma de transmitir um legado positivo às novas gerações.

A escritora e viúva do primeiro Presidente de Angola Maria Eugénia Neto
Fotografia: Edições Novembro |

No acto de abertura da Feira da Literatura, Cultura e Artes, que decorre na Praça da Independência, com exposições internacionais de gastronomia e cultura, Maria Eugénia Neto disse esperar que as diversas actividades marcadas para celebrar o Dia do Herói Nacional, que se assinala amanhã, continuem a divulgar a vida e obra de Agostinho Neto como Estadista, médico, poeta e homem de cultura.
Maria Eugenia Neta recordou aos mais jovens, principalmente, que foi no Largo 1º de Maio (Largo da Independência), onde se proclamou a Independência de Angola, há sensivelmente 42 anos. “Devemos apostar cada vez mais em programa culturais que incentivem os jovens a conhecerem melhor as grandes referências do nacionalismo no país.”
Maria Eugénia Neto disse que a presença na feira do terceiro volume de Banda Desenhada sobre a vida e obra de Neto intitulado “A vitória é certa” e a apresentação do livro “A obra de Agostinho Neto como educador social em Angola”, de Rosa de Lima, faz com que os mesmos sejam adquiridos pelo público, por reunirem conteúdos importantes sobre a história de Neto.
A responsável apelou, principalmente aos estudantes, para visitarem a feira, por reunir várias disciplinas artísticas, como uma exposição internacional de gastronomia e cultura, em que vão participar duas dezenas de países, através das suas embaixadas acreditadas em Angola, onde os representantes dos países convidados vão exibir o melhor da sua culinária em sessões de degustação.
A Fundação Dr. Agostinho Neto realiza até 29 deste mês, em Catete, Luanda, a sétima edição do FESTINETO.

Tempo

Multimédia