Mediateca cria zona de debate

César Esteves
29 de Março, 2015

Fotografia: César Esteves

A Mediateca de Luanda acaba de criar um espaço de debate denominado “Clube de Leitura”, no âmbito do projecto homónimo, no qual jovens de várias idades se reúnem às quartas-feiras, a partir das 15h30, para a leitura de um livro de um autor nacional escolhido para posterior debate literário com o próprio.

Após a leitura e análise do livro, num período de quatro semanas, é convidado o autor da obra para uma conversa amena com os jovens leitores, um diálogo que gira em torno de vários temas ligados ao livro, com destaque para assuntos de carácter social.
Durante o encontro com o escritor, os jovens inteiram-se, entre outras questões, sobre a fonte de inspiração do autor, bem como as razões que o levaram a escrever sobre determinado assunto. O autor apresenta, no debate, o seu ponto de vista sobre a obra literária.
Cândida da Costa, funcionária da Mediateca e moderadora dos debates e que já realizou duas edições, disse que esse contacto que os jovens têm mantido com os escritores tem contribuído muito para o seu crescimento intelectual.
Antes da criação desse espaço, os jovens visitavam a Mediateca apenas para verem filmes, mas depois muitos mudaram de opção e interessam-se mais.
Cândida da Costa recordou ainda que a função primária da Mediateca, enquanto instituição geradora de conhecimento, é mesmo promover esses espaços nos quais os jovens possam aprender cada vez mais sobre vários assuntos.
“Esse espaço foi criado para permitir que os jovens tenham mais intimidade com os livros, bem como com os seus autores. O ‘Clube de Leitura’ é uma actividade criada para fomentar a leitura. Além disso, também foi criado para incentivar os jovens a lerem mais por prazer do que por obrigação”, disse.
Donga Pascoal, 18 anos e a estudar a 10ª classe, disse que participa regularmente no projecto “Clube de Leitura”, reconhecendo que os temas abordados no espaço têm enriquecido o seu intelecto.
“Desde que comecei a frequentar esse espaço, a minha forma de ver e encarar o mundo mudou. Hoje, já não sou um jovem alheio a muitas coisas. Estou mais lúcido do que antes”, disse Donga Pascoal.
Divaldo Martins, o segundo escritor convidado do espaço depois de Penela Santana, disse que recebeu o convite com muito agrado e não pensou duas vezes em aceitá-lo e interagir com os jovens leitores sobre o seu livro “Pedaços de Vida”. “Acho que é um exemplo de que a esperança está viva. Num país como Angola, onde tudo é urgente e o material se sobrepõe ao intelectual, em que os jovens só querem festas e roupas de marca, existir um grupo de jovens que se reúnem à volta de livros, é a prova de que há futuro”, disse Divaldo Martins.
O encontro entre escritores e leitores constitui um momento sublime, pois como disse “ouvir dos leitores a impressão sobre a leitura da obra permite ao autor perceber como andou”.
Essa iniciativa vai ser, doravante, apoiada pelo projecto literário “Ler Angola”, que vai oferecer ao “Clube de Leitura” um total de 22 livros de autores nacionais. “Vamos oferecer os livros das nossas colecções ao Clube de Leitura, para que possam ser lidos e analisados. Estamos, por um lado, a facilitar o acesso à leitura e, por outro, a permitir que os nossos escritores, clássicos e contemporâneos, possam ser melhor estudados”, declarou o responsável do “Ler Angola”.
Os jovens que já leram o livro “A morte do velho Kipacaça”, da autoria de Boaventura Cardodo, aguardam pela confirmação do autor para a marcação do debate, e estão de momento a ler o livro “E lá fora os cães...”, de Nguimba Ngola, cujo debate e análise está agendado para o dia 10 de Abril.
O “Clube de Leitura” existe desde a inauguração da Mediateca de Luanda, a 28 de Agosto de 2012, e está aberto a utilizadores regulares, possuidores de cartão da instituição. A Mediateca de Luanda está localizada no Largo das Escolas.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA