O livro é veículo de saber

Mário Cohen |
27 de Agosto, 2014

O livro continua a ser o principal veículo de conhecimento e não vai ser facilmente ultrapassado afirmou em Luanda, o secretário de Estado da Cultura, Cornélio Caley,  na abertura da Feira Internacional do Livro e do Disco, que decorre no CEFOJOR até domingo.

Cornélio Caley revelou que a feira tem contribuído para o desenvolvimento da Cultura Nacional, criando oportunidades e promovendo intercâmbio entre editores, produtores e livreiros. Reconheceu que a Feira Internacional do Livro e do Disco é um dos bons exemplos que os jovens angolanos podem seguir.
O secretário de Estado da Cultura disse que a organização da iniciativa tem de pensar num espaço maior de forma a responder à procura dos leitores e expositores que têm aumentado anualmente.
Cornélio Caley aproveitou a ocasião para destacar o contributo do artista José Matias “Mamukueno” falecido sábado, por doença. “Mamukueno, em 1962, já fazia sucesso com as suas canções”, disse. Para o coordenador da feira, Jomo Fortunato, são sete dias de actividades de venda de livros e de discos, com uma programação muito rica. No dia da abertura destaque para o concerto de Irina Vasconcelos e a banda “Kianda Soul”, e uma sessão de autógrafos do escritor Manuel Rui.
O livro é uma importante fonte de saber e é um factor de desenvolvimento. Até é fundamental no combate à pobreza porque “o livro trás conhecimentos e o conhecimento gera emprego”.
Está ainda agendada a sessão de vendas e autógrafos do CD “Meu lado Gumbe” de Filipe Mukenga. O concerto de encerramento é do músico Kyaku Kiadaf, marcado para este domingo, às 18h00.
Participam na feira Internacional do Livro e do Disco 15 expositores com destaque para a Mayamba Editora, Texto Editores, Paulinas Editora, Livraria Barquinho, Livraria Alpega, Mestria Livraria, Papelaria Jesus Vive em Mim, Núcleo Juvenil Cristão e Movimento Literário Lev’Arte.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA