Cultura

Obra de Luís Mendonça foi lançada em Luanda

Amilda Tibéria

O escritor José Luís Mendonça afirmou, segunda-feira em Luanda, que os jovens devem ler muito e conhecer a prosa literária em geral, por forma a aumentar os seus níveis de conhecimentos sobre a literatura angolana.

Kiokamba Cassua (à direita) director da Editora Acácias
Fotografia: Mota Ambrósio | Edições Novembro

O escritor fez essa afirmação, no lançamento do primeiro livro da colecção Troncos da Literatura Angolana, intitulado “Angola, Me Diz Ainda”, cuja cerimónia realizou-se no Camões -  Centro Cultural Português, em Luanda.
O livro “Angola, Me Diz Ainda”, da autoria de José Luís Mendonça, é composto por 54 poemas inéditos, e saiu à estampa com a chancela da Editora Acácias. Segundo o autor, é um trabalho literário de técnica poética, composto por vários géneros, como o lírico, épico e dramático, com uma linguagem particular da angolanidade, que tem como partida o português de Angola e alguma expressividade de quimbundo.
Em declarações ao Jornal de Angola, José Luís Mendonça disse que o livro é uma continuidade de “Sagrada Esperança” de António Agostinho Neto, para os dias de hoje, porque as situações que ele descreve na sua obra ainda continuam vigentes.
“Ainda não se resolveu o problema da Independência. Existe sofrimento e este livro toma uma atitude face a este problema”, disse o escritor.
O projecto “Troncos da Literatura Angolana” foi criado pela Editora Acácias e pelo Movimento Lev’Arte para renascer a força literária angolana, feita pelos escritores da antiga geração.
O director da Editora Acácias, Kiokamba Cassua, frisou que o projecto visa a publicação de livros de escritores que marcaram o mosaico literário do país nas décadas de 70, 80 e 90 e vai basear-se na edição de obras inéditas de escritores angolanos.
Kiokamba Cassua disse que o projecto não vai ser só para escritores angolanos com trabalhos publicados, mas também para escritores com obras inéditas.

Tempo

Multimédia