Obras literárias estão expostas em todo o país

Carlos Bastos | Sumbe Isidoro Samutula| Dundo Lourenço Bule| Menongue e Edson Fontes| Caxito
28 de Junho, 2014

Fotografia: Fernando Camilo |Sumbe

O Jardim do Livro Infantil decorre desde quinta-feira até amanhã no Parque da Liberdade, no Sumbe, com o objectivo de incentivar o gosto pela leitura e a promoção, valorização e divulgação do livro e da literatura infantil na região.

Um total de 3.067 obras literárias de escritores nacionais que se dedicam a escrever para crianças estão expostas e à venda. Entre elas, destacam-se as de autores como Dário de Melo, Gabriela Antunes, António Jacinto, Cremilda de Lima, Maria Fernandes, Áurio Quicunga, Octávio Correia, Cássia do Carmo e Maria João.
Na abertura do Jardim do Livro Infantil no Cuanza Sul, Manuel Rosa da Silva, director provincial da Cultura, destacou a importância da leitura na elevação da capacidade intelectual e psico-motora, desde tenra idade.
“Pretendemos, com a realização desta iniciativa, promover entre as crianças o hábito pela leitura", disse o responsável, para quem este processo deve ter espaços próprios, como é o caso dos jangos criados com esse fim, onde não só a leitura é privilegiada, mas também para serem contadas histórias e se praticarem artes.
O administrador municipal do Sumbe, Américo Sardinha, disse que a iniciativa é um incentivo aos pais para comprarem livro e motivarem os seus filhos a terem hábitos de leitura.
Anunciou que o Governo vai colaborar com todas as escolas tendo em vista a criação de um programa junto dos professores destinado a uma melhor transmissão dos conhecimentos da língua às crianças. "O livro é um mestre mudo, com o qual se aprendem muitas coisas, como ter amor ao próximo e outras virtudes", destacou.
“O Jardim do Livro Infantil constitui uma forma de reconhecer o livro como um elemento fundamental no processo de desenvolvimento da criatividade e personalidade da criança", realçou.

Leitura na Lunda Norte

Laurinda Chissola, directora da Biblioteca Provincial da Lunda Norte, pediu aos professores e encarregados de educação para incentivarem as crianças a ler, de forma a adquirirem mais conhecimentos e melhorarem a aprendizagem.
A responsável, que falava na abertura do Jardim do Livro Infantil 2014, disse que, a nível da província, as crianças apresentam muitas dificuldades na leitura, situação que preocupa a direcção da Cultura, que a pretende alterar.
“Temos muitas crianças que têm dificuldades na leitura. Com esta actividade, pretendemos incentivar cada vez mais o gosto pela leitura, para que a criança possa adquirir conhecimentos que sejam úteis para a sua educação e formação".
Laurinda Chissola considerou fraca a participação de muitos pais na formação das crianças, facto que influencia substancialmente a aprendizagem delas.
Para a presente edição foram postos à disposição dos amantes da literatura infantil um total de 2.200 livros de escritores angolanos, comercializados entre 100 e 500 kwanzas.

Transmissão de conhecimento

Mais de quatro mil livros de vários autores nacionais e estrangeiros dirigidos a criança estão expostos no Jardim do Livro Infantil,  na Escola Beneditina Ninho da Paz, do ensino primário e do I ciclo, em Menongue.
Na cerimónia de abertura da feira, Pedro Camelo, vice-governador para o sector político e social do Cuando Cubango, disse que a iniciativa vem privilegiar e homenagear os esforços que a direcção provincial da Cultura tem estado a desenvolver, de modo a que as crianças se sintam cada vez mais motivadas.
“Estamos numa escola onde reconhecemos o valor, a capacidade e entrega dos professores no que tange, sobretudo, a transmissão de conhecimentos”, disse Pedro Camelo, para quem, com a realização desta feira, todos os petizes têm a possibilidade de lidar com vários livros de histórias e autores diferentes.
Na ocasião, o governante ofereceu cem livros à direcção da Escola Beneditina Ninho da Paz, que vão enriquecer a sua biblioteca e incentivar o gosto pela leitura aos estudantes.
O director provincial da Cultura, Luís Paulo Vissunjo, disse que, após a feira, os quatro mil livros de autores diversos vão ser distribuídos a várias escolas do ensino primário do Cuando Cubango. “Este acto de distribuição de livros vai estender-se a nível de todos os municípios da província, e em primeiro lugar vão ser beneficiadas as municipalidades do Cuchi e Cuito Cuanavale, pelo livre acesso a estas regiões, e nas zonas mais recônditas a direcção provincial da Cultura vai trabalhar estreitamente com as administrações municipais”, disse.

Biblioteca General SKS

A Biblioteca General SKS, no município do Dande, acolhe até amanhã a oitava edição do Jardim do Livro Infantil, com a realização de uma exposição de 5.687 livros de autores angolanos.
A iniciativa, que tem atraído centenas de crianças à Biblioteca General SKS, conta com a realização de diversas actividades socioculturais, com destaque para o recital de poesias, leitura recomendada e sessão de venda e autógrafos de livros.
No acto de abertura, o director provincial da Cultura do Bengo, Moisés Kafala, destacou a importância da realização da feira, por fortalecer e fomentar o gosto pela leitura e escrita às nossas crianças.
Sublinhou que esta iniciativa promove a criação literária juvenil e valoriza a criatividade dos escritores nacionais, concorrendo na educação moral e cívica.
Moisés Kafala pediu aos pais e encarregados de educação para convencerem os seus filhos a visitarem a feira, a fim de adquirirem algumas obras para incentivo à leitura.
O programa de actividades do Jardim do Livro Infantil no Bengo contempla, igualmente, a escola do primeiro ciclo número 306, colégio Joswana e o mercado do Panguila. O Jardim do Livro Infantil é uma iniciativa do Ministério da Cultura, através do Instituto das Indústrias Culturais (INIC), em parceria com os governos provinciais.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA