"Oxalá cresçam pitangas" lançado na feira de Berlim


10 de Julho, 2014

Fotografia: DR

“Oxalá cresçam pitangas" é o título em português do livro bilingue de literatura angolana, produzido pela União dos Escritores Angolanos, em parceria com o Goethe-Institut Angola, a ser lançado no próximo mês de Setembro, na Feira Internacional do Livro de Berlim, na Alemanha.

A antologia, que chega às bancas numa edição de Ineke Phaf-Rheinberger e tradução em português de Bárbara Mosquita, apresenta uma selecção de textos de autores angolanos para prover uma primeira impressão referente à cena literária contemporânea e vital de Angola.
A colectânea literária inclui textos em prosa e poesia de Agostinho Neto, Arnaldo Santos, João Melo, Zetho Cunha Gonçalves, Tazuary Nkeita, Carmo Neto, Roderick Nehohe, Isabel Ferreira, Sónia Gomes, Amélia Dalomba, António Gonçalves, José Luís Mendonça e Décio B. Mateus.
No prefácio da antologia, a editora Ineke Phaf-Rheinberger refere que os autores conhecidos e desconhecidos, com residência dentro e fora de Angola, continuam a publicar novas obras sem parar. “O seu público leitor está rapidamente a crescer e o objectivo desta edição consiste em interessar também o público leitor alemão na literatura angolana".
Existem algumas traduções de poesia e prosa dos escritores  Agostinho Neto, Pepetela, Manuel Rui Monteiro e Luandiano Vieira datados dos anos pós-Independência, mas não foram reeditados, pelo que só é possível consegui-los em alfarrabistas e algumas bibliotecas. “Actualmente, encontram-se edições alemães de José Eduardo Agualusa, Ondjaki, Pepetela e Ana Maria Tavares nas livrarias, mas é possível contar esses títulos pelos dedos das mãos", disse a editora, acrescentado que “a razão pela qual estes autores não se encontram representados nesta antologia é porque tomámos na consideração exclusivamente aqueles escritores que nunca foram traduzidos. Há apenas uma excepção: Agostinho Neto".
Ineke Phaf-Rheinberger diz que a edição da antologia teve o apoio incondicional do Goethe-Institut Angola, da UEA, na pessoa do seu secretário-geral Carmo Neto, de Bárbara Mosquita, que esteve encarregue da tradução, e dos artistas plásticos Álvaro Macieira e Edson Chagas, que deram autorização para a reprodução das suas imagens, assim como Daiana Nascimento dos Santos, que participou na redacção final da versão portuguesa.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA