Cultura

“Quitanda das Letras” foi aberta em Malanje

Venância Victor | Malanje

Mais de dois mil livros literários e científicos de escritores nacionais e estrangeiros estiveram patentes ontem numa exposição e venda em Malanje, inserida na “Quitanda das Letras”, uma iniciativa da Direcção Provincial da Cultura.

Livros literários e científicos foram ontem expostos e vendidos
Fotografia: Venâncio Víctor | Edições Novembro - Malanje

Francisco Ngola, chefe do Departamento de Acção Cultural da Cultura, disse ontem na abertura da exposição que ela serve para incentivar o gosto pela leitura aos jovens das terras da Palanca Negra.
O responsável garantiu que a “Quitanda das Letras” é um projecto que vai estar disponível todas as sextas-feiras aos munícipes, que vão ser brindados com exposições e vendas de livros das diversas áreas do saber, no espaço adjacente ao Largo 4 de Fevereiro. Francisco Ngola disse que a Direcção Provincial da Cultura tem vindo a massificar, incentivar e despertar o gosto pela leitura nos munícipes da cidade de Malanje, acrescentando  que urge, nesta altura, garantir a oferta de livros a baixo custo para que os cidadãos tenham acesso facilitado à leitura.
“É justamente por esta razão que trouxemos aqui a biblioteca infantil e convidámos uma livraria móvel, que veio de Luanda, que esta em conexão com muitas editoras, para a venda de livros”, disse Francisco Ngola.
O lançamento da “Quitanda das Letras” contou com a presença dos escritores João Rosa Santos e Antónia Domingos “Miguelita”, autora de “A Kynhunga”, e outros criadores da província de Malanje.

Tempo

Multimédia