Thuram contra o racismo

Francisco Pedro|
26 de Março, 2015

Fotografia: Reuters

O antigo futebolista da selecção francesa Lilian Thuram defendeu em Luanda, a divulgação dos feitos dos negros “considerados estrelas”, no seu país e no mundo, para acabar com os preconceitos raciais.

“É importante ter estrelas negras, para mudar esse inconsciente colectivo”, disse Lilian Thuram, a propósito do racismo, durante a conferência que proferiu no Instituto Camões-Centro Cultural Português, sob o tema “A Banda Desenhada Contra o Racismo”.
No mesmo dia, o craque do futebol fez o lançamento da sua obra de estreia em banda desenhada, “A Nossa História”, livro que hoje é novamente apresentado na Mediateca de Luanda, a partir das 18 horas.
“A Nossa História” é um livro autobiográfico, adaptação do ensaio “As Minhas Estrelas Negras”, também da sua autoria. Com 135 páginas a cores, desenhos de Sam Garcia, cenário de Jean-Christophe Camus e pinturas de Hugo Poupelin, o livro conta a vida da sua mãe, a sua “estrela”.
O objectivo é atingir facilmente o público alvo da Fundação Lilian Thuram, que são crianças, jovens e adultos.
Lilian Thuram apelou aos adultos para conversarem com os filhos sobre questões de racismo, de forma a educá-los, evitando que na idade adulta surjam insultos ou discriminações por causa da cor da pele, opções sexuais ou credo religioso.
“O racismo deve ser abordado também com as crianças, se com elas não conversarmos sobre esses assuntos, podem ter um olhar negativo sobre elas, privadas de desenvolver o que é mais importante para o ser humano, a auto-estima”, afirmou.
Hoje, Lilian Thuram lança o livro “As Minhas Estrelas Negras”, na Mediateca de Luanda.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA