União dos Escritores abre "Lavra e Oficina"


13 de Maio, 2016

Fotografia: Santos Pedro

A reactivação, a breve prazo, do boletim informativo “Lavra e Oficina” é uma das metas da União dos Escritores Angolanos (UEA) para este ano, de forma a melhorar a qualidade do produto literário nacional e a capacidade técnica e criativa dos jovens autores, disse, ontem em Luanda o secretário-geral da UEA.

Carmo Neto adiantou ainda que entre as prioridades do ano está também a realização das “Makas à Quarta-feira” em diversas províncias do país, assim como no exterior, sobretudo nos países onde a literatura angolana tem com pouca representatividade, como Portugal, onde os escritores angolanos ainda são pouco conhecidos e reconhecidos.
“A ideia é realizar também algumas acções sobre a produção de escrita criativa, dando, por exemplo, maior importância a cadeira Agostinho Neto, que já foi institucionalizada na Universidade da Itália”, prosseguiu. A direcção da União dos Escritores Angolanos tem ainda em perspectiva a continuidade do projecto imobiliário que consiste na criação de espaços sociais, capazes de gerar rendimentos financeiros para as inúmeras actividades da instituição, como edições de livros e a realização de congressos, de modo a promover literatura nacional. A União dos Escritores Angolanos é a mais antiga organização civil cultural. Fundada a 10 de Dezembro de 1975, teve como primeiro presidente da mesa da assembleia-geral António Agostinho Neto. Entre os seus nomes mais notáveis constam o de Luandino Vieira, Arnaldo Santos, António Jacinto, António Cardoso, Jofre Rocha, Fernando Costa Andrade “Ndunduma” e Aires de Almeida Santos.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA