Cultura

Luís Kandjimbo apresenta “Alumbu”

Mário Cohen

“Alumbu - O Cânone Endógeno no Campo Literário Angolano - Para Hermenêutico Cultural” é o título do livro de Luís Kandjimbo que é apresentado amanhã, às 17h30, na União dos Escritores Angolano (UEA), em Luanda.

Escritor regressa ao mercado com a chancela da Mayamba
Fotografia: João Gomes | Edições Novembro

O livro, que chega ao mercado com a chancela da Mayamba Editora, é uma colectânea de textos ensaísticos sobre várias problemáticas da cultura angolana, vista no contexto geral das culturas africanas.
Natural de Benguela, Luís Kandjimbo é o pseudónimo literário de Luís Domingos Francisco. No princípio da década de 80, dada a paixão pelas artes e letras, partiu para o Lubango, onde frequentou o primeiro ano da Faculdade de Letras.
O primeiro ensaio foi publicado no Jornal de Angola. Dentre muitos, destacam-se um sobre “A literatura negro-africana e o seu espaço útil” e outro da “Dimensão histórico-literária de Agostinho Neto”. Na época, era um investigador a colaborar com o Centro de Investigação Histórica, o actual Arquivo Histórico.
Em 1987, publicou o primeiro livro de ensaios, “Apuros de vigília” e, em 1998, o segundo, “Apologia de Kilitangi”. Depois publicou dois livros de poemas, um deles, “A Estrada da Secura”, vencedor da menção honrosa do concurso Sonangol de Literatura.
A UEA realiza ainda amanhã, às 15h30, no âmbito das celebrações do Dia Internacional do Escritor Africano, a inauguração do Centro de Estudos Literário Angolanos (CELA), com o objectivo de desenvolver, promover e divulgar a literatura nacional por todo o país.
O CELA, como explicou a UEA, vai permitir valorizar, cada vez mais, a literatura angolana, assim como possibilitar aos estudantes universitários e os demais interessados, trocarem experiências com estudiosos convidados pelo centro para os orientar.

Tempo

Multimédia