"Mafumeira" em defesa do ambiente

Manuel Albano
6 de Março, 2015

Fotografia: Dombele Bernardo

O cantor Tonito defendeu, em Luanda, a importância dos compositores explorarem temáticas que enalteçam mais a preservação do ambiente, no sentido de ajudar a resgatar valores esquecidos.

O músico, que manifestou está preocupação durante uma conferência de imprensa de apresentação do seu primeiro disco intitulado “Mafumeira”, realizada na Mediateca de Luanda, disse que existe nos criadores “falta de criatividade e visão abrangente do universo artístico”.
Explicou que a falta de criatividade de alguns músicos e compositores se deve ao pouco conhecimento sobre o espaço vivencial, falta de leitura e pesquisa sobre a História do país: “Temos muitos bons compositores, mas ainda precisamos de melhorar e diversificar os conteúdos apresentados nas temáticas, particularmente pela nova geração de artistas.”
Apesar de reconhecer que o mercado artístico vive mais à base de temas que abordam principalmente assuntos relacionados com o amor conjugal, disse ser importante que os músicos diversifiquem mais os conteúdos das suas composições, por forma a criarem novas propostas musicais no mercado.
“Sinto a falta das árvores na cidade carregadas de frutas que nos alimentavam durante o nosso percurso até a escola. Hoje muitas espécies vegetais autóctones que se reproduziam na cidade de Luanda, como a mafumeira, noutros tempos serviam para a construção artesanal de utensílios domésticos e canoas para a pesca, agora no seu lugar vão surgindo inúmeras construções feitas à base do betão”, lamentou o artista.
   
“Mafumeira”

O disco produzido pela Kissanji Produções tem 11 temas interpretadas em quimbundo e português e vai ser lançado, no dia 27 do corrente mês, no anfiteatro do Memorial Dr. António Agostinho Neto, em Luanda. No dia 29, a partir das 8h00, o disco vai ser apresentado, na Praça da  Independência, em Luanda, numa sessão de venda e assinatura de autógrafos. Dos temas do disco destacam-se “Monami Xiku”, “Canto Evocativo”, “Caminho do Mato”, “Palamé”, “Kiukitukila”, “Menino triste” e “Mu Ndengue Uami”. Gravada em Portugal e França, o CD de estreia de Tonito contou com a participação de músicos nacionais e estrangeiros, na qual o músico evoca “figuras históricas da música popular urbana e outras da vivência social da minha época”.
Justificou a falta de apoios financeiro como sendo o principal entrave para nunca ter gravado um disco há mais tempo: “Produzir um disco é muito caro, não tinha condições de suportar sozinhos as despesas financeiras da produção de uma obra discográfica, por isso só agora o meu primeiro disco chega no mercado”, explicou.
Tonito, compositor de cariz antológico, faz parte da nata de ilustres  cantores que construíram a visão da música angolana moderna. Foi vocalista do célebre grupo musical “Ngola Ritmos” e escreveu canções em parcerias com Liceu Vieira Dias, Euclides de Fonte Pereira “Fontinhas” e Catarino Bárber. Musicou poemas de Agostinho Neto, Jofre Rocha e Manuel Alegre. Foi o homenageado da 14ª edição do Festival da Canção de Luanda, promovido pela rádio Luanda Antena Comercial (LAC).

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA