Marcela Costa expõe em Milão

Roque Silva |
19 de Julho, 2015

Fotografia: Santos Pedro

Cinco obras de tecelagem da autoria de Marcela Costa constam de uma exposição, a ser inaugurada amanhã e patente até o dia 30, no espaço Galeria UNAP, no pavilhão de Angola, na Expo Milão 2015.

Patrício Batsîkama, curador da exposição, disse ontem ao Jornal de Angola que as obras de tecelagem apresentam um pendor estético interessante, exibindo dois aspectos da sociedade, a angolanidade e o “sexo frágil” face aos desafios actuais em Angola.
“É uma construção da cultura angolana e o seu lugar na multimodernidade. A preparação do homem - social, cultural ou economicamente - debita das heranças socioculturais dos seus progenitores, e sucessivamente, da responsabilidade destes”.
O curador referiu que nesta exposição destaca-se a mulher, por ser aquela que mais sofreu na trágica guerra angolana. Porém, explicou, a tecelã procura também, com a Paz, lembrar a sociedade e a todos sobre a importância da educação da mulher.
“A mostra procura  mostrar a importância da mulher na educação infantil. Acredito que essas imagens sejam o fruto da experiência pessoal da artista, que já trabalhou com várias gerações de meninas artistas”.
Para o curador e também crítico de arte, a exposição é  uma forma de salientar o trabalho das artistas angolanas, principalmente numa plataforma onde vários países trazem o que de interessante têm nas suas sociedades. “Os temas expostos indicam o interesse da classe artística profissional angolana em busca de uma Angola enquanto espaço comum, onde todos buscam a sua felicidade e contribuem para consolidação de diálogo permanente, através do respeito do outro e onde a mulher ainda é vulnerável”, disse Patrício Batsîkama.
Marcela Costa nasceu no Golungo Alto, Cuanza Norte, e fez a sua formação em Luanda no Instituto Industrial, onde tirou o curso de Artes Visuais e posteriormente o curso de Instrutora de Artes Plásticas.
Em 1984, foi para a Suécia, onde fez o curso de Tecelagem Artística e suas Superações, no Instituto Handarbetets Vanner, em Estocolmo, e ainda no Saterslanta Henslojdes Gard, em Dolana.
A artista conta no seu percurso mais de 20 exposições individuais e mais de 30 colectivas, em galerias nacionais e internacionais. A primeira exposição individual foi apresentada em Luanda na União Nacional de Artistas Plásticos.
Entre os países onde apresentou exposições de arte constam a Bélgica, África do Sul, Estados Unidos, Gabão, Itália, Japão, Zimbabué, Botswana, Grã-Bretanha, Rússia, Coreia do Sul, Espanha, Suécia, China, Portugal e Estónia.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA