Cultura

Marcela Costa expõe em Milão

Roque Silva |

Cinco obras de tecelagem da autoria de Marcela Costa constam de uma exposição, a ser inaugurada amanhã e patente até o dia 30, no espaço Galeria UNAP, no pavilhão de Angola, na Expo Milão 2015.

Tecelã angolana apresenta novas tendências na Itália num trabalho mais assente na herança sociocultural e no papel da mulher na sociedade
Fotografia: Santos Pedro

Patrício Batsîkama, curador da exposição, disse ontem ao Jornal de Angola que as obras de tecelagem apresentam um pendor estético interessante, exibindo dois aspectos da sociedade, a angolanidade e o “sexo frágil” face aos desafios actuais em Angola.
“É uma construção da cultura angolana e o seu lugar na multimodernidade. A preparação do homem - social, cultural ou economicamente - debita das heranças socioculturais dos seus progenitores, e sucessivamente, da responsabilidade destes”.
O curador referiu que nesta exposição destaca-se a mulher, por ser aquela que mais sofreu na trágica guerra angolana. Porém, explicou, a tecelã procura também, com a Paz, lembrar a sociedade e a todos sobre a importância da educação da mulher.
“A mostra procura  mostrar a importância da mulher na educação infantil. Acredito que essas imagens sejam o fruto da experiência pessoal da artista, que já trabalhou com várias gerações de meninas artistas”.
Para o curador e também crítico de arte, a exposição é  uma forma de salientar o trabalho das artistas angolanas, principalmente numa plataforma onde vários países trazem o que de interessante têm nas suas sociedades. “Os temas expostos indicam o interesse da classe artística profissional angolana em busca de uma Angola enquanto espaço comum, onde todos buscam a sua felicidade e contribuem para consolidação de diálogo permanente, através do respeito do outro e onde a mulher ainda é vulnerável”, disse Patrício Batsîkama.
Marcela Costa nasceu no Golungo Alto, Cuanza Norte, e fez a sua formação em Luanda no Instituto Industrial, onde tirou o curso de Artes Visuais e posteriormente o curso de Instrutora de Artes Plásticas.
Em 1984, foi para a Suécia, onde fez o curso de Tecelagem Artística e suas Superações, no Instituto Handarbetets Vanner, em Estocolmo, e ainda no Saterslanta Henslojdes Gard, em Dolana.
A artista conta no seu percurso mais de 20 exposições individuais e mais de 30 colectivas, em galerias nacionais e internacionais. A primeira exposição individual foi apresentada em Luanda na União Nacional de Artistas Plásticos.
Entre os países onde apresentou exposições de arte constam a Bélgica, África do Sul, Estados Unidos, Gabão, Itália, Japão, Zimbabué, Botswana, Grã-Bretanha, Rússia, Coreia do Sul, Espanha, Suécia, China, Portugal e Estónia.

Tempo

Multimédia