Cultura

Mariza em digressão pelos Estados Unidos

A fadista Mariza inicia este mês uma digressão pelos Estados Unidos, “em moldes diferentes, com uma grande liberdade na escolha dos temas que apetecer cantar”, disse a cantora à agência portuguesa de notícias.

Portuguesa Mariza expande o género fado pelo Mundo
Fotografia: Edições Novembro

“Vai ser uma digressão mais pequena, mas não podia deixar de fora, este ano, os Estados Unidos, onde sempre me acolheram tão bem e, apesar de ter uma agenda atribulada, a digressão o ano passado foi tão, tão boa, que não podia deixar de ir este ano”, disse Mariza, que nos últimos 15 anos tem actuado de forma sistemática nos Estados Unidos, onde já cantou, entre outros palcos, no Hollywood Bowl e no Walt Disney Concert Hall, em Los Angeles, ou no Carnegie Hall, em Nova Iorque.
A cantora lembrou que o público fora de Portugal acompanha a sua carreira e gosta de ir assistir aos seus espectáculos.
“A decisão [desta digressão] passou muito por fazer uma coisa que acho muito interessante, que é actuar nuns clubes de jazz e de fazer mais que um espectáculo em cada cidade”, declarou.
“É muito engraçado perceber que [as pessoas dizem] ‘não vou ver um concerto de fado, vou ver Mariza’; e o bom nestes clubes de jazz é eu poder experimentar outro tipo de repertório. Isto é, canto o meu repertório, mas ao mesmo tempo posso experimentar temas que gosto de cantar”, afirmou Mariza.
A fadista exemplificou: “Temas da MPB [Música Popular Brasileira], ‘standards’ de jazz de que eu gosto, canções espanholas, e dá-me um bocadinho de liberdade, coisa que não me dão os teatros. Nos teatros não posso fugir a um determinado alinhamento, enquanto nestes espaços dá para brincar com o repertório, que é uma coisa que às vezes me dá muita vontade de fazer”. Mariza afirma que, nos Estados Unidos, o público “tem uma mente mais aberta”, contrária da europeia.

Tempo

Multimédia