Martin Scorsese cancela documentário


30 de Janeiro, 2015

Fotografia: Divulgação

Um documentário de Martin Scorsese sobre Bill Clinton, no qual o realizador vinha a trabalhar desde 2012 e que estava quase pronto, foi cancelado por tempo indefinido, aparentemente por divergências quanto ao controlo do projecto.

Ao longo dos últimos dois anos, Scorsese filmou o ex-presidente dos Estados Unidos em várias circunstâncias, designadamente numa visita filantrópica a África, mas o documentário, financiado pelo canal televisivo HBO, foi agora “posto na prateleira”, disseram ao jornal “New York Times” fontes ligadas ao projecto.
Bill Clinton, cuja mulher, Hillary Clinton, é uma provável candidata às presidenciais de 2016, quis controlar as perguntas colocadas por Scorsese e exigiu aprovar a versão final do filme, disseram as mesmas fontes, adiantando que outra “questão em aberto” era o modo como a filha de Bill e Hillary, Chelsea, podia aparecer no documentário. O realizador de “Taxi Driver” (1976), “Touro Enraivecido” (1980) ou “Tudo Bons Rapazes” (1990) não gostou das tentativas do ex-presidente democrata para controlar o seu trabalho e decidiu suspender o projecto.
Um porta-voz de Clinton, Matt McKenna, disse que a versão divulgada pelo “New York Times” é “inexacta”, mas sem especificar quaisquer imprecisões. A equipa de Scorsese recusou comentar a situação e o canal HBO, que pertence ao grupo Time Warner, confirmou o cancelamento, mas sublinhou que esta suspensão “não quer dizer que o filme não vai ser feito”.
Quando o projecto arrancou em 2012, nada fazia prever atritos entre o cineasta e o político. Scorsese disse então que o seu filme ia trazer “um conhecimento mais amplo desta figura transcendente”. E Clinton pagou-lhe na mesma moeda, manifestando a sua satisfação por ter despertado o interesse de um “realizador mítico”. No entanto, parecem ter acabado por não conseguir ultrapassar as previsíveis complicações de realizar um documentário em torno de uma personalidade cuja mulher vai estar prestes a arrancar com mais uma campanha presidencial.
À medida que se aproxima o período de campanha eleitoral e a imprensa vai especulando que Hillary pode declarar-se candidata pelo Partido Democrata já nas próximas semanas, os consultores dos Clinton começam a recear os riscos que um documentário como este pode representar.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA