Cultura

Maya Cool dá concerto para casais

Manuel Albano

Maya Cool é o artistas de cartaz do concerto intimista “Cantares da Rainha”, que se realiza amanhã, às 20h00, na Casa da Cultura Njinga a Mbande, localizada no Distrito Urbano do Rangel, em Luanda.

Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Vencedor do Top dos Mais Queridos em 2008, concurso promovido pela Rádio Nacional de Angola, com o tema “Ti Paciência”, Maya Cool tem como convidado o cantor Nelo Bastos, num concerto dedicado ao “Dia dos Namorados”, de acordo com Patrícia Faria, directora do espaço cultural.
Maya Cool, que tem no mercado os discos de originais “Lágrimas”, “Igual a ti”, “Anjo”, “Amores” e “Certeza”, vai aproveitar para recordar os principais sucessos da carreira como “Dia D”, “Liguei”, “Sereia”, “Boca azul”, “Junta ma nos” e “Materialista”, adicionando no alimento do show sucessos mais recentes como “Ancoró”, “Maka grande” e “Te juro”.
O seu último trabalho discográfico, intitulado “Certeza”, saiu em 2012, onde se destaca o tema “Ancoró”, mas as suas músicas mais emblemáticas fazem parte dos álbuns mais antigos, como “Igual a ti” e “Lágrimas”. Lucas de Brito Pereira da Silva, vulgo Maya Cool, é o nome de um artista que ainda criança “mergulhou” no mundo da música, tendo a Rádio Nacional de Angola (RNA) como ponto de partida e projecção, nos tempos do piô-piô.
Natural de Luanda e possuidor de um carácter vistoso, o autor cresceu no município do Golfe e no bairro da Terra Nova (Rangel), onde descobriu a veia musical, sob influência da mãe e de um professor do ensino primário.
Na altura tímido e de poucos anseios, Maya Cool ingressou num grupo coral da Igreja Católica, onde surgiu a ideia de efectuar um teste na RNA, a fim de ingressar no grupo de cantores infantis piô-piô.
Naquela estacão emissora, que “abriu-lhe as portas” ao mercado angolano, o cantor conviveu com outros artistas renomados, na época, como Ângelo Boss, Mamborrô, Joseca, Lopes Cortez e Mara Max.
Em 1988, Maya grava o primeiro grande sucesso, intitulado “A Moringa”, adaptado de um tema tradicional, ao qual se seguiram outras canções de sucesso, como “Nelson Mandela” e “1 de Junho”.

Tempo

Multimédia