Cultura

Mbanza Kongo prepara FestiKongo

A requalificação das zonas adjacentes aos sítios e monumentos históricos de Mbanza Kongo, Zaire, no âmbito da realização da primeira edição do Festival Internacional da Cultura e Artes (FestiKongo), a decorrer de 5 a 8 de Julho, estão já na sua fase conclusiva, informou, ontem, a Angop.

Primeira igreja construída na África sub-sahariana é um dos monumentos de referência da antiga capital dos reis do Kongo
Fotografia: Francisco Bernardo| Edições Novembro

As obras de restauro da cidade incluem ainda a criação de zonas verdes e a pavimentação de passeios ao redor do Kulumbimbi, além da instalação de um sistema de iluminação no recinto da Sé Catedral e do Cemitério dos Reis do Kongo.
A iluminação do Jardim do Museu dos Reis do Kongo também foi melhorada, como informou o director do Gabinete Provincial da Cultura, Juventude e Desportos, Turismo e Hotelaria, Biluka Nsakala Nsenga, que destacou ainda o trabalho de limpeza nas ruínas do an-tigo Museu dos Reis (Tadi-dya-Bukikwa).
O também vice-presidente do Comité de Gestão participativa do Sítio Histórico de Mbanza Kongo, criado por Decreto Presidencial, destacou a comparticipação dos empresários do ramo hoteleiro nas actividades. “Até ao momento, estão disponíveis mais de 300 quartos em hotéis, residências e unidades similares da cidade de Mbanza Kongo”, contou.
A componente de limpeza e saneamento básico também está assegurada, tendo destacado o envolvimento dos munícipes. Os agentes culturais locais, destacou, estão prontos a dar o seu contributo na realização do FestiKongo2019.
De acordo com o programa de actividades do festival, que conta com a participação de vários artísticas dos Congos Brazzaville e Kinshasa, assim como do Gabão. No primeiro dia, a atracção são os espectáculos de música e dança tradicional. No segundo dia, anunciou, a música gospel é a principal atracção. Para encerrar esta primeira edição, no dia 8 de Julho, está agendado um mega espectáculo músico-cultural.
Além dos artistas do Zaire, acrescentou, a caravana artística angolana é integrada por agentes culturais das demais províncias do país, criadas para exibir o que de melhor Angola oferece em termos de música, dança, culinária, artesanato e pintura. O Sítio Histórico de Mbanza Kongo ostenta a categoria de Património da Humanidade desde 8 de Julho de 2017, distinção atribuída pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco).
Mbanza Kongo foi a capital do antigo Reino do Kongo, que incluía o noroeste de Angola abrangendo Cabinda, a República do Congo, a parte ocidental da República Democrática do Congo (RDC) e a parte centro-sul do Gabão.
A actual capital do Zaire conta com cinco bairros: Sagrada Esperança, Álvaro Buta, Martins Kidito, 4 de Fevereiro e 11 de Novembro, com 155.174 habitantes.

Repartir a “festa”
A exiguidade de unidades hoteleiras na cidade de Mbanza Kongo, capital do Zaire, vai obrigar a transferência de algumas actividades da primeira edição do Festikongo para o município do Soyo, o facto foi anunciado pelo governador da província, Pedro Armando Júlia.
Segundo o governador, informou, ontem, a Angop, o Soyo, que dista a mais de 300 quilómetros de Mbanza Kongo, foi escolhido por ter uma rede hoteleira capaz de acomodar muitas delegações.
A organização do festival espera pela participação de várias individualidades, entre nacionais e internacionais, com destaque para os peritos do Património Mundial da Unesco, assim como as caravanas artísticas dos Congos, Gabão, Benin e Camarões.
O festival é parte das exigências colocadas pela Unesco aquando da inscrição do Centro Histórico da capital do antigo Reino do Kongo na lista do Património Munial, a 8 de Julho de 2017. Pelas recomendações, o festival deve ser realizado durante três anos consecutivos. Cabe depois aos organizadores definirem a sua periodicidade.
De acordo com o director do Gabinete Provincial do Zaire da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos, Biluka Nsakala Nsenga, a rede hoteleira de Mbanza Kongo dispõe, actualmente, de mais de 300 quartos, insuficientes para atender as necessidades.

Tempo

Multimédia