Cultura

Mercado artístico nacional necessita de críticos de arte

O mercado artístico nacional carece da figura do crítico de artes plásticas, enquanto motivador, censurador e aconselhador dos trabalhos inovadores e de qualidade dos criadores angolanos, disse ontem em Luanda o artista Cristiano Mangovo.

Fotografia: JAImagens | Edições Novembro

Em declaração à Angop, Cristiano Mangovo, que participou recentemente em residência artística na galeria First Floor, em Harare, e onde também expôs o seu conjunto do obras na exposição individual “100 Protecção”, disse que o crítico de artes plásticas contribuiu na originalidade das criações e ajuda a elevar a qualidade dos trabalhos, devido a sua opinião e pareceres técnicos e científicos que emite.
O crítico de artes, explicou Cristiano Mangovo, não deve estar ligado, profissionalmente, a um artista ou grupo da classe, para dar uma opinião mais independente. “Um crítico de artes deve ser um profissional comprometido com o seu serviço, para o bem da classe, ter o espírito aberto de forma a projectar o melhor caminho para todos os criadores”, frisou. O artista plástico apelou aos críticos das artes a visitar mais os ateliês dos artistas nacionais no sentido de prestarem um melhor serviço à classe, através dos seus pontos de vista técnicos e científicos.
Cristiano Mangovo tem desenvolvido novos trabalhos contemporâneos, entre os quais quadros que retratam os problemas sociais e políticos que o mundo enfrenta. Chamar a atenção das pessoas para o crescimento dos factores que promovem os conflitos no mundo são destacados nas suas obras.
Graduado em Pintura, pela Faculdade de Belas Artes de  Kinshasa (RDC), Cristiano  Mangovo tem participado em residências artísticas e realizado exposições no estrangeiro. Cristiano Mangovo participou na Expo Milão em 2015, com uma instalação e performance individual no Pavilhão de Angola, na VII Bienal Internacional de Gravura do Douro em Portugal e beneficiou de uma residência artística em Paris depois de ter vencido a categoria ENSA-Arte Alliance Français em 2014.

Tempo

Multimédia