Cultura

Mig é homenageado em show de humor

Analtino Santos

O contributo que o cantor Mig deu à música angolana foi recordado durante o segundo espectáculo do projecto Duetos N’Avenida, realizado quinta-feira, na Casa 70, em Luanda, pela dupla de humoristas Calado Show e Gilmário Vemba.

Gilmário Vemba e Calado Show reconheceram pitadas de humor nos temas do cantor Mig
Fotografia: Alberto Pedro | Edições Novembro

O foco do espectáculo não foi apenas a riqueza musical da obra de Miguel, mas também algumas sátiras existentes em determinadas letras da autoria do cantor. Entre os temas escolhidos pela dupla, destacou-se o sucesso “Mundo, Queremos a Paz”, ligado à guerra civil em Angola, “Bela Sulana”, “Maka Mami” e “Senhor Guarda”.
A homenagem, que também serviu para revelar os dons musicais dos humoristas, foi também uma forma de os comediantes e a produção lembrarem os feitos e o contributo de um dos nomes marcantes da música angolana, tido como um narrador musical do quotidiano.
Porém, o espectáculo não se limitou apenas à homenagem a Mig, incluiu também uma análise satírica de determinados assuntos actuais, em particular os ligados à política, com realce para o discurso da Nação, proferido na última terça-feira, dia 15, ou as eleições na UNITA.
Numa actuação de três horas, a dupla fez ainda piadas em torno de temas sociais, como a infidelidade, o consumo excessivo de álcool, o crescimento da religião e os problemas familiares. No final, o público teve a oportunidade de escolher os assuntos que gostaria de ver os humoristas abordarem. Alguns dos pedidos foram atendidos, outros não. A explicação da dupla foi que “o humor nem tudo pode.”
As “aventuras musicais” da dupla não ficaram apenas pelos temas de Mig, abrangeram um fado, com a inclusão de temas do kuduro e afro-house, como “Pintin”, “Capota”, ou “Rabudas”. No campo musical, a odisseia terminou com “Loucura”, de Flay, no qual os dois humoristas pediram uma maior atenção para com o próximo e criticaram a ostentação dos novos-ricos.
Com este espectáculo, a organização do projecto, a Zona Jovem, preparou o público para a próxima fase da iniciativa, que inclui uma mudança de palco e a introdução de um género diferente do habitual, o gospel, seleccionado devido à actual aceitação no mercado.
Desta forma, o próximo Dueto N’Avenida acontece no dia 2 de Novembro, com um show gospel de Miguel Buila e Bambila, mas desta vez no Centro de Convenções de Belas, em Luanda, ao contrário da habitual Casa 70.
A inclusão de novos géneros é, para Figueira Ginga, da organização, uma forma de apresentar novas propostas ao público. Porém, este deixou em aberto a possibilidade de o humor ser mais frequente nos espectáculos do projecto, uma vez que “as primeiras apostas de produção da Zona Jovem eram com este género e começou em 2000 com o português Fernando Rocha e os angolanos Calado Show e Pedro Nzaje.

O projecto

Este foi o segundo concerto da terceira temporada do projecto, que abriu com a dupla Anna Joyce e Konde, em Setembro, e agora conta ainda com a actuação de Filipe Mukenga e Selda, no dia 23 de Novembro, e de Patrícia Faria, Gersy Pegado e Carlos Burity, em Dezembro.
O Duetos N’Avenida é uma proposta da Zona Jovem que arrancou a 25 de Agosto de 2018, com Patrícia Faria e Puto Português e, na altura, contou com duplas como Eduardo Paim e Maya Cool, Bruna Tatiana e Edmázia Mayembe, e Paulo Flores e Yuri da Cunha.
A segunda temporada contou com as parcerias de Euclides da Lomba e Gabriel Tchiema, Don Kikas e Walter Ananaz, Pérola e Yola Semedo, Calado Show e Gilmário Vemba e encerrou com Ary e Kyaku Kyadaff.

Tempo

Multimédia