Cultura

Ministério da Cultura felicita David Caracol

O Ministério da Cultura felicita o actor David Caracol pela conquista sdo prémio de Melhor Actor no Festival de Cinema de Las Palmas, em Espanha, pela sua interpretação no filme “Posto Avançado do Progresso”, de Hugo Vieira da Silva, da produtora Leopardo Filmes, entregue este mês.

O Ministério da Cultura, através de um comunicado de imprensa, manifesta a sua satisfação pelo prémio de representação conquistado pelo actor angolano e considera tal feito “um factor que coloca em evidência a qualidade dos fazedores e criadores de arte em Angola, e daí o nosso reconhecimento.”
“A atribuição do prémio internacional a David Caracol deve servir de estímulo aos demais artistas angolanos, nos mais variados segmentos, para que continuem a aprimorar a sua qualidade artística, elevando cada vez mais a bandeira nacional além-fronteira”, lê-se no comunicado.
No filme, considerado pelo festival como “muito diferente”, destaca-se a interpretação do agora galardoado actor que, através da sua “complexa interpretação de um papel secundário nos transporta à realidade e ao contexto geográfico no qual se desenrola a trama, evitando convenções previsíveis”, afirmou o júri. Para além de “Posto Avançado do Progresso”, o actor já tinha feito uma participação no filme “Cartas de Guerra”, de Ivo Ferreira.
O longa-metragem de Hugo Vieira da Silva, o terceiro filme da sua carreira, é uma adaptação de um conto com o mesmo nome da autoria de Joseph Conrad. Produzido por Paulo Branco e rodado em Angola, o filme conta a história de dois colonizadores portugueses que, no final do século XIX, desembarcam numa remota zona do rio Congo a fim de coordenar um posto comercial.
David Enoque Soares dos Santos Caracol nasceu no dia 10 de Outubro de 1972, na província de Cabinda. É actor desde 1988 e realizador no grupo Horizonte Njinga Mbande. Boa parte da sua vida foi sobre o palco de um teatro. No entanto, foi no cinema que trouxe pelas suas mãos um dos poucos prémios atribuídos fora do país a um intérprete angolano.  Em Março de 2016, foi consagrado o melhor actor no Festival de Cinema de Las Palmas, Espanha, pela sua participação em “Posto Avançado do Progresso”, do português Hugo Vieira da Silva.
A sua carreira começou por influência do irmão mais velho, fundador da companhia de teatro. Era uma fase meio conturbada. Angola vivia num período de guerra ainda e, como a maior parte dos actores morava distante, tinham que se abrigar na casa dos pais de Enoque, onde assistia e ouvia as conversas dos mais velhos e acompanhava-os na discussão sobre teatro.  Primeiro fez parte de um grupo infantil e depois foi convidado a integrar a companhia. Aos 14 anos, pisou um palco pela primeira vez e confessa que preferia estar no teatro do que estar na escola.
Hoje, conta no seu curriculum com participações nas telenovelas: “Vidas Ocultas”, “Vidas a Preto e Branco”, “Windeck” e “Jikulomesso”. No cinema, participou ainda em: “Na Cidade Vazia”, “Cartas da Guerra”, “O Comboio da Kanhoca”, “O Miradouro da Lua” e “Assaltos em Luanda”. Mas é no teatro onde se destaca com a realização de peças como: “A Madrasta”, “O Casal”, “Casado sem Casa”, “O Engraxador”, “Lueji o Nascimento de um Império”, “O Alfaiate”, “Eternamente Virgem”, “O Amante”, “Socorro e Dia de São Valentin”, “Marido por Contrato”, “Óbito Proibido Chorar”, “O Xuxuado”,” Sobreviver em Tarrafal”, “Boca Aberta”, “Tudo por uma Noite”, “O Padrasto”, “Os Borgias”, “O Pendura”, “Romeu e Jujú”, “Ser Taxista”, “Fabiana I e II, “The Face o Rival”, “Segredos da Cama” e “A Dívida”. Teve o prémio de melhor actor na peça “As Bruxas de Salém”.

Tempo

Multimédia