Cultura

Ministério defende mensagens construtivas

A ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, destacou, em Luanda, a necessidade de os agentes culturais apostarem na transmissão de mensagens que ajudem no resgate dos valores morais, cívicos e culturais e na defesa da angolanidade.

Ministra da Cultura dialogou com artistas de várias áreas
Fotografia: José Soares | Edições Novembro

Falando durante audiências concedidas, recentemente, aos membros do grupo humorístico Os Tuneza e a cantora de gospel Irmã Jolly, a ministra disse que a classe artista angolana deve levar à comunidade mensagens construtivas e positivas, que contribuam para o processo de formação, afirmação, valorização e divulgação da cultura nacional além-fronteiras.
De acordo com Carolina Cerqueira, na qualidade de formadores de opinião, os criadores angolanos são os principais transmissores de mensagens que ajudam a moralizar a sociedade e a combater as acções que coloquem em causa o bem-estar das comunidades.
Os humoristas do grupo Os Tuneza aproveitaram para apresentar à ministra alguns projectos que têm em carteira, nomeadamente a produção de um livro sobre o seu percurso artístico e um documentário que vai trazer à tona mensagens sobre a necessidade da protecção dos bens culturais angolanos, cujo cenário será o mosaico cultural de Mbanza Kongo.
A ministra da Cultura destacou, igualmente, a necessidade de os artistas angolanos usarem a música como instrumento da cultura de paz, da dignificação da mulher e da educação da sociedade.
Durante a audiência que concedeu à cantora de gospel Irmã Joly, Carolina Cerqueira disse que os cantores devem apostar na produção de canções cujas mensagens enaltecem a dignidade humana, o amor ao próximo, o patriotismo e a valorização dos traços identitários da cultura angolana. “Os músicos têm um papel importante e activo a desempenhar na educação e socialização das pessoas”.

Tempo

Multimédia