Ministra da Cultura realça obra do pintor


17 de Julho, 2015

Os feitos e o legado deixados pelo artista plástico José ZAN Andrade, que foi enterrado, na quarta-feira, em Portugal, foram salientados ontem, em Luanda, pela ministra da Cultura, pela sua importância para a nova geração de talentos.

Rosa Cruz e Silva destacou, em comunicado, as qualidades multifaceticas do artista plástico angolano, que faleceu no passado dia 10, em Lisboa, vítima de doença.
Na nota de condolências, a ministra, que manifesta pesar pelo falecimento do artista, realça o facto de ZAN, que começou a sua aventura nas artes como integrante da banda de rock “Os Electrónicos”, na década de 1960, se ter  destacado ao longo da sua carreira no mundo das artes plásticas, com trabalhos que traziam à tela o quotidiano angolano, usando como técnico o acrílico sobre tela.
José ZAN Andrade nasceu em Luanda, em 1946, onde concluiu o ensino secundário e, antes de se dedicar totalmente à pintura, trabalhou até 1983 nas companhias de aviação portuguesa e angolana. Além de pintor foi guitarrista, autor de programas musicais de rádio, sobretudo de jazz, e colaborador literário de vários jornais, até começar a trabalhar a tempo inteiro na pintura.
Em 1986 fez a primeira exposição individual em Luanda, na União dos Artistas Plásticos, e em 1992  radicou-se em Portugal onde vivia desde então. No seu percurso artístico contam-se 21 exposições individuais e 13 colectivas, em Portugal, Angola, Brasil e Gabão.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA