Ministra defende coabitação das línguas


23 de Fevereiro, 2015

Fotografia: Domingos Cadência

A ministra da cultura, Rosa Cruz e Silva, apelou à sociedade para cultivar o hábito da coabitação natural de todas as línguas maternas e a preservação da identidade nacional.

A governante fez este apelo quando intervinha, sábado, no acto comemorativo do Dia Internacional da Língua Materna, instituído pela Organização das Nações Unidas para a Ciência e Cultura (UNESCO) em 1999, que se assinalou sábado. O acto foi promovido pela Associação dos Amigos e Naturais do Songo (Anarsongo), que engloba as regiões de Malanje, Bié e Lunda Norte e decorreu sob o lema “Unidos na Diversidade Linguística e Cultural em Angola Valorizemos a Nossa Integridade”. 
De acordo com a ministra, é importante que todos os angolanos tenham consciência de que Angola é um país plurilingue e que devem respeitar e considerar todas as línguas de forma igual. “As línguas são meios de comunicação importante, veículos de cultura e daí o esforço a ser feito entre nós, por forma a caminharmos para a melhor coabitação com os demais falantes de outros idiomas nacionais”, disse Rosa Cruz e Silva, que encorajou as instituições que apoiam o Instituto Nacional de Línguas Nacionais no trabalho de estudo das línguas maternas de Angola, incluindo o português, a elevarem os conhecimentos de cada uma delas na oralidade e na escrita.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA