Ministra destaca papel dos escritores


23 de Abril, 2016

Fotografia: Paulino Damião |

A ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, destacou, na quinta-feira, em Luanda, o papel da União dos Escritores Angolanos (UEA) na promoção do livro, da leitura e da identidade cultural.

Em declarações à imprensa à margem da cerimónia de posse dos corpos gerentes da UEA, Carolina Cerqueira adiantou que a organização ocupa um lugar imprescindível na promoção da literatura e da escrita, factores intrinsecamente ligados ao desenvolvimento da personalidade humana e de incentivo aos valores morais, cívicos e patrióticos.
De acordo com a governante, são aspectos que ajudam a incentivar os jovens a gostarem de escrever, ler e a exprimirem as palavras através do verbo, da poesia e da conjugação do imaginário com a realidade do que se quer para Angola no futuro.
Carolina Cerqueira manifestou o apoio institucional e solidário a UEA, tendo em conta as suas preocupações para com a promoção do gosto pela leitura e do livro.
A ministra solicitou da União dos Escritores a promoção de debates e formação para incentivar os jovens a escrever bem para melhor exprimirem as suas ideias em prol de uma Angola cada vez melhor.
Os novos corpos gerentes da UEA são encabeçados pelo escritor Roderick Nehone como presidente da mesa da assembleia-geral e Carmo Neto como secretário-geral. A União dos Escritores Angolanos é a mais antiga organização civil cultural, tendo sido fundada a 10 de Dezembro de 1975, tendo como primeiro presidente da mesa da assembleia-geral António Agostinho Neto.
 
Estímulo à leitura
 
O presidente da Mesa da Assembleia da União dos Escritores Angolanos, Roderick Nehone, defendeu quinta-feira,  o fortalecimento das acções que estimulem o hábito à leitura.  Tais declarações foram preferidas durante o discurso de tomada de posse do novo elenco que vai dirigir os destinos da UEA durante o período 2016/2019.
Rodrick Nehone disse que o elenco eleito tem plena consciência de que qualquer progresso almejado neste domínio resultará positivamente na vida das empresas, das famílias.
“Cremos que cada um de nós tem o dever de contribuir com o seu saber para que o país melhore”, disse o presidente da mesa da assembleia. Ainda no seu discurso, Roderick Nehone afirmou que o estímulo à aprendizagem, à criativa e a promoção dos escritores angolanos constituem algumas áreas que exigirão o acompanhamento do elenco eleito.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA