Ministra garante participação excelente

Manuel Albano|
15 de Abril, 2015

Fotografia: Paulo Mulaza

A ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, disse ontem em Luanda, que acredita numa participação excelente de Angola na Bienal de Veneza, que se realiza de 9 de Maio a 22 de Novembro.

Em conferência de imprensa, realizada no Ministério da Cultura, Rosa Cruz e Silva mostrou-se satisfeita pela proposta apresentada pelo curador do pavilhão angolano, António Olé, no sentido de se estabelecer um diálogo entre gerações como forma de passagem de testemunho.
A experiência e trajectória artística de António Olé permitiu ao artista apresentar uma proposta que requer poucos investimentos financeiros, mas que garante ao país manter os níveis de representação das anteriores participações na bienal.
A ministra disse que posteriormente pretende criar em Angola uma iniciativa semelhante à Bienal de Veneza, que vai permitir fortalecer as parcerias, particularmente com outros criadores africanos da região: “Já existiram algumas tentativas que não foram muito bem sucedidas, mas vamos continuar a trabalhar no sentido de encontrar os melhores caminhos na promoção das artes plásticas no país”.
A qualidade e resultados dos trabalhos dos criadores angolanos já apresentados nos grandes palcos internacionais, traduz-se em resultados notáveis, como o primeiro Leão de Ouro conquistado em 2013. “O país precisa de continuar a apostar nos seus artistas”, disse.
Depois a participação de Angola na Bienal todo o material gráfico a ser produzido vai ser exposto nas províncias no sentido de promover as artes plásticas no seio da juventude. António Olé, curador do espaço de Angola, disse que ao escolher os cincos artistas angolanos a participarem numa primeira fase da Bienal de Veneza teve em conta as figuras e traços tradicionais, símbolos nacionais e a criatividade apresentada nos seus trabalhos.
Este ano, Angola volta a marca presença com trabalhos de Binelde Hircan, Délio Jesse, Francisco Vidal, Neto Teixeira e do próprio António Olé. 
A Bienal de Artes de Veneza abre as suas porta em Maio e vai até Novembro. Tem como propostas para este ano fazer uma visita dos 120 anos de existência da Bienal.
O pavilhão de Angola é inaugurado oficialmente a 6 de Maio. Na véspera é realizadora no espaço uma actividade institucional a ser animada por Jack Nkanga e DJ Jesus Afrobeat.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA