Ministra quer jovens a valorizar identidade


11 de Fevereiro, 2015

Fotografia: Mota Ambrósio

A ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, exortou, segunda-feira, em Luanda, os jovens a valorizarem os traços característicos da identidade cultural angolana.

Falando à imprensa, no final de uma visita de constatação da preparação dos grupos carnavalescos “Juventude Unida do Kapalanca” e “União Njinga Mbandi”,do município de Viana, a ministra sublinhou que os jovens devem buscar na história ena cultura das diversas regiões do país as fontes de inspiração para a literatura, os contos, o teatro, o carnaval e outras manifestações culturais.
Rosa Cruz e Silva, que se manifestou satisfeita porencontrar muitos jovens nos grupos já visitados, defendeu que se deve também ir buscar na oralidade e na sabedoria dos anciões a perpetuação, preservação e divulgação do que torna os angolanos diferentes de outros povos.
“Os jovens devem ir buscar a diversidade para melhor representarem, apresentarem e defenderem a nossa identidade. Temos uma história cultural que deve e merece ser divulgada cada vez mais. Os jovens têm esta responsabilidade”, disse a ministra.
No âmbito do Carnaval 2015, a ministra da Cultura, acompanha da vice-governadora provincial de Luanda, Jovelina Imperial, visitou ontem os grupos do Distrito Urbano do Rangel.
A dança semba é o principal estilo coreográfico exibido pelos sete grupos carnavalescos do Rangel nos desfiles dos dias 14, 15 e 17 deste mês, na Marginal da Praia do Bispo. Os grupos do Rangel são: “União Pwasundumuka”, que concorre na Classe A, “União Sagrada Esperança” (Classe A), “União Giza” (Classe B), “União Geração Sagrada” (Classe B), “Cassules do Pwasundumuka”(Classe Infantil), “Cassules do Sagrada Esperança” (Infantil) e “Cassules do Geração Sagrada” (Infantil).
Em declarações à Angop, o coordenador do Núcleo do Carnaval do Distrito Urbano do Rangel, Nelson da Silva, informou que os grupos estão a preparar ao pormenor a sua participação. Segundo o coordenador, a Comissão Provincial Preparatória do Carnaval de Luanda já entregou o material aos grupos.
O Carnaval de 2014 foi conquistada pelo grupo “União Sagrada Esperança”, na Classe A e na Classe Infantil.

Operário Kabocomeu


O grupo carnavalesco Kabocomeu, do Distrito Urbano do Sambizanga, está a aprimorar os últimos detalhes nos ensaios que começaram há meses, no sentido de superar o 6º lugar conseguido em 2014 e conquistar o primeiro lugar, frisouo seu responsável, Manuel António.
De acordo com o entrevistado, os ensaios têm sido feitos no horário entre as 18h00 e as 22h00, com mais de 200 dançarinos, dos cerca dos 300 que vão estar na Nova Marginal de Luanda, além do grupo de apoio. 
Grande parte das roupas e acessórios dos dançarinos foram já feitos e outros continuam a ser confeccionados. Manuel António deu a conhecer que o tema da música é “Tuasanguluka”(quimbundo, que em português significa “estamos satisfeitos), em alusão às benfeitorias registadas em todos os sectores do país, como o surgimento das centralidades e melhorias no sistema de transportes e circulação.
O grupo vai exibir a dança kazucuta, que já lhes é peculiar, desde os primórdios da sua existência, com o amarelo, o azul e o branco a sobressaírem nas indumentárias.

Homenagem às “zungueiras”


O grupo carnavalesco “União Njinga Mbandi” vai homenagear, no Carnaval de Luanda, as mulheres “zungueiras” e “guerrilheiras” que trabalham peloseu rendimento diário, informou o comandante do grupo, António Domingos.
Esta homenagem visa enaltecer e reconhecer o esforço, a dedicação e a luta persistente que as mulheres enfrentam no seu dia-a-dia para garantirem o bem-estar social e económico familiar, referiu o responsável, que falava à Angop. António Domingos informou que vão levar para o palco da Marginal a música “O Sonho Continua”, acompanhada com o estilo de dança “cabecinha”, mantendo as suas raízes e um número considerável de integrantes. O grupo leva a “rainha” Fátima Salvador e o “rei”Adão Victor.
António Domingos avançou que o grupo pretende elevar a posição na Classe A e mostrar ao corpo de jurados que é um dos potenciais concorrentes à conquista do título.
“Preparamos grandes inovações para este ano, desde a coreografia, a indumentária, o carro alegórico e a canção que serão reveladas no acto e nos ajudarão a alcançar o título”, garantiu Domingos.
O também fundador do grupo anunciou para a edição 2016 a entrada do seu grupo infantil “Pequenos do Nzinga Mbandi” no Carnaval. Já estão a ser preparados os mais novos do grupo.
Criado a 22 de Janeiro de 1979, o grupo “União Njinga Mbandi” conta com 300 associados.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA