Cultura

Morreu Panchita "O amor da rua 11"

Morreu no sábado, em Benguela, Esperança Lima Coelho, mais conhecida por Panchita, a mulher que ficou imortalizada nos versos de "Meu Amor da rua 11", poema de Aires de Almeida Santos. Panchita morreu, coincidentemente,  no dia em que completava 89 anos de idade.

Nascida em 25 de Março de 1928, Panchita mergulha a cidade das Acácias Rubras em lágrimas.O seu nome fica como uma marca indelével associada ao bairro Benfica,  rua 11. Mãe do chefe do Estado-Maior do Exército das Forças Armadas Angolanas,  general Matias de Lima Coelho “Zumbi”, a mulher de mérito fica imortalizada na poesia de Aires de Almeida Santos, bem como no universo da música e da literatura angolana, pois tem sido citada quer em sessões de declamação de poesia  quer em composições musicais. De acordo com os familiares, o funeral está marcado para amanhã, no cemitério da Camunda, na cidade de Benguela.

SAPO Angola

Tempo

Multimédia