Morte de Robin Williams emociona cinéfilos


14 de Agosto, 2014

Fotografia: Reuters

As mensagens de condolências, surpresa e tristeza sucederam-se depois do anúncio da morte do actor Robin Williams, na segunda-feira.

Robin Williams, de 63 anos, sofria de depressão e as autoridades norte-americanas consideram a hipótese de suicídio como causa provável de morte.
Steve Martin destacou a “boa pessoa, talento genial e alma genuína” do colega, numa mensagem publicada no Twitter.
A latina Zoe Saldana afirmou não encontrar palavras para “expressar a tristeza por esta perda trágica” e Michelle Rodríguez recordou com nostalgia os momentos de riso e choro que viveu com os papéis de Robin Williams.
John Cusack, Mandy Moore, George Takei, Mara Shriver, Shannen Doherty, Mia Farrow, Kevin Spacey e Faye Dunaway foram alguns dos artistas que recorreram às redes sociais para expressarem a sua dor.
Lenny Kravitz escolheu uma fotografia que tirou com Robin Williams na rodagem de “O Mordomo”, em Nova Orleães, para recordar o vencedor de um Óscar por “O Bom Rebelde”. “Foi uma honra conhecer-te”, escreveu o cantor.
Lindsay Lohan, por sua vez, falou da “bondade” de Robin Williams, que conheceu no seu primeiro dia de filmagens do filme “The Parent Trap” (1993). “Que perda tão grande”, afirmou a actriz.
Zachary Quinto e Anna Kendrick recorreram a uma das frases mais icónicas da carreira cinematográfica de Williams, o extracto do poema “Oh Captain! My Captain!”, escrito por Walt Whitman e imortalizado no filme “Clube dos Poetas Mortos” que o actor protagonizou em 1989. Williams faleceu na sua casa em Tiburon, na área da baía de São Francisco. O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e família lamentaram a morte do actor Robin Williams, que descreveram como um intérprete “único”.
“Ele entrou nas nossas vidas como um estranho, mas acabou por nos tocar  todos os elementos do espírito humano. Fez-nos rir. Fez-nos chorar. Entregou o seu imensurável talento livre e generosamente àqueles que mais precisam, desde as nossas tropas no estrangeiro, aos marginais nas nossas ruas”, expressou a família em comunicado, e que também dirigiu condolências aos familiares e amigos do actor e a todos aqueles que “encontraram a sua voz graças a ele”. Robin Williams morreu, aparentemente, de suicídio por asfixia, anunciaram as autoridades do condado de Marin, na Califórnia. De acordo com o site especializado em notícias de celebridades “Entertainment Weekly”, que cita o agente do actor, Robin Williams estava a “combater uma severa depressão” e a sua morte é considerada uma “trágica e súbita perda”.
“Nesta altura, o Departamento de Medicina Legal da Polícia do Condado de Marin suspeita de suicídio por asfixia”, lê-se no comunicado.
O actor e comediante era uma das mais admiradas figuras públicas da Sétima Arte, tendo alcançado a fama nos Estados Unidos devido à sua participação no programa de entretenimento (sitcom) “Mork & Mindy”, mas foi no cinema que se tornou mundialmente conhecido.
O “site” especializado em estatísticas e informações de cinema Internet Movie Database contabiliza 103 créditos que representam participações em filmes ou séries de televisão, particularmente nas últimas duas décadas, em grandes sucessos de bilheteira, como “Bom Dia, Vietname”, em 1989, ou “Clube dos Poetas Mortos”, em 1997.
Apesar de ter sido nomeado para o Óscar nesses dois anos, e também em 1992, com o filme “The Fisher King”, só alcançou o prémio Óscar em 1998 com a sua participação secundária em “O Bom Rebelde”, no qual desempenha um psicólogo que acompanha um jovem extremamente inteligente, um papel desempenhado por Matt Damon.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA