Cultura

Mostra sobre a moeda na galeria Tamar Golan

A Galeria Tamar Golan acolhe, desde sexta-feira até ao dia 26, a exposição colectiva “Do Zimbo ao Kwanza”, como sendo uma homenagem a um dos símbolos do país, neste caso a moeda nacional.

Exposição colectiva “Do Zimbo ao Kwanza”
Fotografia: Edições Novembro

Em comunicado enviado á Angop a galeria informa que a amostra colectiva, cuja temática é a evolução da moeda em Angola através dos tempos, conta com obras dos artistas plásticos Adão Mussungo, Cristiano Mangovo, Dom Sebas Cassule, Heitor Paulo, Mumpasi Meso e Walter Pataca. A exposição mostra registos históricos que tiveram o seu início antes da época colonial, num período em que se utilizavam como meio de troca no território nacional com colares formados por rodelas de conchas de caracóis.
Adão Mussungo formado em pintura pelo Instituto Nacional de Formação Artística e em Ciências da Comunicação. Coordenador da Brigada de Jovens Artistas Plásticos (BJAP), fez diversas exposições colectivas e individuais na Itália, Portugal, Moçambique e África do Sul. Cristiano Mangovo é graduado em pintura pela Faculdade de Belas Artes de Kinshasa, na República Democrática do Congo.
Walter Pataca e Heitor Paulo pertencem na mais recente geração de artistas plásticos, cuja tendência estética tem fortes influências  correntes híbridas.
Dom Sebas Cassule, membro da UNAP e da Associação Internacional de Artes Plás”", sedeada em Nice, França. Participou na Trienal de Luanda em 2007 e 2010, na Bienal de Arte Contemporânea de Florença, em Itália, em 2009 e 2011.
Mumpasi Meso iniciou-se nas artes plásticas sob influência do pai, o artista plástico Mumpasi Zameso, com quem aprendeu a pintar mosaico em pedra, experiência que viria a influenciar o seu estilo.

Tempo

Multimédia