Cultura

Movimento Lev’Arte distingue figuras

Mário Cohen

O Movimento Lev’Arte homenageou, quinta-feira, na Mediateca de Luanda, o escritor Manuel Rui Monteiro, pelo seu contributo para o desenvolvimento da literatura nacional.

Manuel Rui Monteiro exibe o diploma de mérito pela distinção
Fotografia: João Gomes | Edições Novembro

Manuel Rui Monteiro recebeu das mãos do coordenador do Lev’Arte, Carlos Eva, um diploma de honra e um quadro de desenho a lápis, produzido no local da actividade pelo artista plástico Logo.
Visivelmente emocionado, Manuel Rui Monteiro disse, em tom irónico, que “podem roubar o petróleo, o diamante e o dinheiro que está no banco. Lev’Arte, ninguém rouba um movimento literário.”
O homenageado agradeceu ao Movimento Lev’Arte pelo reconhecimento dos seus feitos, em prol da literatura angolana, e agradeceu pela distinção.
Por razões alheias à organização, o músico Ruy Mingas, que seria o outro homenageado da noite, não esteve presente. Ainda assim, a organização rendeu tributo a um dos autores do Hino Nacional (Angola Avante).
As homenagens realizaram-se na 6ª edição do Festival de Poesia e Letras (Fespol), que termina amanhã, às 18h00, na Mediateca de Luanda. O primeiro dia do festival foi marcado pela declamação de poesia pelas pequenas Darlene Zina, de 11 anos, que declamou “Musseque”, e Wende Bocada, de 6 anos, disse “A Hora da Largada”, ambos poemas de Agostinho Neto.
A dupla Emília e Joelson interpretou alguns temas do repertório de Ruy Mingas, com destaque para “Menino do Huambo”, que mereceu elogios de Manuel Rui Monteiro. Os poetas Dom Afonso, Yacaniana Ciara, Zola Ramos e Gino Sacramento declamaram, igualmente, no primeiro dia do festival.
Carlos Eva disse esperar que o festival tenha uma influência positiva nos angolanos e no enriquecimento da cultura nacional, principalmente da literatura. O Movimento Literário Lev’Arte tem como principal objectivo incentivar hábitos e gosto pela leitura, em especial aos jovens.

Tempo

Multimédia