Mulheres de cultura distinguidas

Roque Silva
2 de Abril, 2016

Fotografia: Paulino Damião

A criatividade, o talento e a beleza de 25 mulheres cujas acções contribuíram para a valorização e o fomento da Cultura e das Artes em Angola mereceram o reconhecimento do Ministério da Cultura, em cerimónia realizada quinta-feira, no Memorial Dr. António Agostinho Neto, em Luanda.

A contribuição e o mérito da poetisa Alda Lara, 54 anos depois da sua morte,  e das cantoras Belita Palma, Lourdes Van-Dúnem, Olga Baltazar e Margarida Candeia foram distinguidos, a título póstumo, numa recomendação do Titular do Poder Executivo, que visa reconhecer as figuras que dignificam a Cultura Nacional.
A ministra da Cultura considerou o gesto como a oportunidade de exaltar toda a nação angolana, porque as mulheres são guardiãs da paz e da reconciliação.
Carolina Cerqueira disse que o país está bem representado pela diversidade cultural apresentada no poder de criação das mulheres.
“A defesa e promoção das cores da nação angolana através dos seus gestos, afectos, sensibilidades e talento faz delas especiais e merecedoras de homenagens”, afirmou a titular da pasta da Cultura, tendo anunciado a intenção de expandir esse  reconhecimento aos homens.
A homenagem prestada à obra poética de Alda Lara é, para o filho mais velho, uma demonstração de respeito e consideração pelo contributo dado pela poetisa à História de Angola.
 “A homenagem vai engrandecer mais a obra dela”, disse o filho Pedro Albuquerque, que anunciou haver poucos livros editados de Alda Lara. “É um dia inesquecível porque já passaram muitos anos, mas não me sinto revoltado porque foi recordada em várias outras ocasiões pelos parentes mais chegados.”

Sarau  cultural

A criatividade feminina foi demonstrada pelo batuque e pela dança do grupo de percussão feminino Celamar. O esforço e o espírito destemido das mulheres na luta pela procura do sustento da família foi destacado nos poemas “Lábios cor do Mar” e “Suor e Dor”, de Kanguimbo Ananás, e nos temas “Heroínas” e “Nze Nze”, de Ângela Ferrão. O músico Matias Damásio e o grupo "Dois Pingos" também se juntaram à festa.
A interpretação da música clássica pela Orquestra Sinfónica Maria Carolina marcou a cerimónia que serviu para homenagear a mulher artista. Composta por crianças e adultos, a orquestra apresentou um repertório com canções nacionais e italianas, no qual se destacaram “Muxima”, “Sole Mio”, nas vozes dos tenores Mário Gama e Waldemar Tavares.
Entre as homenageadas constam Maria Eugénia Neto, Amélia da Lomba, Diakassamba e Isabel Caputo (literatura), Irene Guerra Marques (investigação), Maria João Ganga (cinema), Ana Clara Guerra Marques e Ana Maria Vieira Dias (dança), Marcela Costa (artes plásticas), Zizi Mirandela, As Gingas do Maculusso, Dina Santos, Amélia Epalanga e Efenge Moreira (música), Leila Lopes (beleza), Elizabeth Santos e Nadir Tati (moda) e as actrizes Vitória Soares “Totonha”, Vanda Pereira “Lembinha” e Lesliana Pereira.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA