Cultura

Museu da Moeda recebeu mais de 150 mil visitantes

Mário Cohen

O Museu da Moeda recebeu, desde a inauguração, a 6 de Maio de 2016, a visita de 152.752 pessoas de diferentes faixas etárias, com o intuito de se inteirarem sobre a história do dinheiro desde o zimbo ao kwanza.

 

Membros do Executivo visitaram as obras do Prémio Ensa Arte 2017 exposta no Museu da Moeda
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

Em declarações quinta-feira ao Jornal de Angola, a chefe de divisão de museografia e museologia do Banco Nacional de Angola (BNA), Júlia dos Santos, disse que as crianças e os adolescentes, com idades entre os 6 e os 18 anos, são os que mais visitam a instituição.
Os visitantes são atraídos pelo tema central da exposição permanente que é a moeda, patente na sala de mostras contínuas, constituída por duas áreas principais. “Na primeira área, encontramos a história do dinheiro em Angola e a do Banco Nacional de Angola (BNA), enquanto a segunda é a área de educação financeira, considerada um espaço interactivo”, disse Júlia dos Santos.
Na primeira área, assegurou a responsável, estão expostas as peças intervencionadas - conservação preventiva, conservação curativa e restauro -, moedas por ordem cronológica, espólio do BNA, peças únicas e peças representativas e recriação de áreas do BNA, importância simbólica do edifício sede. No segundo espaço, figura a história do dinheiro, dos símbolos monetários, dos modernos meios de pagamento, pormenores do dinheiro de Angola e do dinheiro de outros países, economia e finanças, comércio e globalização das trocas e conceitos fundamentais da teoria económica.
De acordo com Júlia dos Santos, o Museu da Moeda dispõe de um acervo constituído por 728 moedas e medalhas, 135 papéis-moedas, 13 pré-monetários, 31 equipamentos, 49 documentos e seis bibliografias. Transcorridos dois anos desde a sua inauguração, a chefe de divisão de museografia e museologia da instituição, faz um balanço positivo do funcionamento do Museu da Moeda, tendo em conta a adesão de visitantes registadas diariamente de alunos universitários e alunos do ensino de base do sistema público e privado. Este ano, para celebrar o Dia Internacional dos Museus, a instituição realizou uma série de actividades, com o objectivo de mostrar ao público as peças que constituem o acervo museológico.

Mostra do Ensa Arte

A sala de exposição temporária e itinerante do Museu da Moeda acolhe uma exposição com mais de uma vintena de obras de pintura e escultura,  alusiva à 14ª edição do Prémio Ensa Arte, que na tarde de quinta-feira recebeu uma visita guiada pelo curador Miguel Gonçalves, destinada a membros do Executivo, clientes da Ensa e de instituições ligadas às artes.
Durante a visita as obras que mais impressionaram foram “Os desejos da menina” de Cristiano Mangovo, vencedora da XIV edição do Ensa Arte, “Ser mãe” da autoria de Mário José Nunes, segunda classificada do prémio, a escultura “Espaço de um espaço - espaço” de Ângelo de Carvalho Júlio, primeiro classificado pintura, e “Floco de papel”, de Simão André Sebastião, prémio Juventude.
O curador do Ensa Arte disse que a obra de Sozinho Lopes “Polifonia do pretérito presente” transmite a tradução dos vários povos de Angola e remete a uma reflexão assente em critério de rigorosas pesquisa de natureza fonográfica, cronológica, e historiográfica da poligamia produzida por instrumentos musicais.
O Museu da Moeda apresenta a história do dinheiro desde o zimbo até ao kwanza. Único na sua vocação, este museu expõe as colecções de numismática e de notafília do Banco Nacional de Angola.

Tempo

Multimédia